Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.134,46
    +6.097,67 (+5,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.429,75
    +802,95 (+1,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,64
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.705,40
    +3,40 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.541,52
    +343,39 (+1,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,31
    +8,96 (+2,06%)
     
  • S&P500

    3.678,43
    +92,81 (+2,59%)
     
  • DOW JONES

    29.490,89
    +765,38 (+2,66%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.840,75
    +624,96 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    11.354,00
    +68,25 (+0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0689
    -0,0050 (-0,10%)
     

Immortality é um jogo de investigação em formato de cinema

A atriz Marissa Marcel fez apenas três filmes ao longo de sua carreira de anos, mas nenhum deles foi lançado. O sumiço das produções nas telas dialoga diretamente com seu destino, já que ela também desapareceu sem deixar vestígios. É essa a premissa básica de Immortality, game que chega nesta terça-feira (30) ao PC, Xbox Series X, Xbox Series S e celulares com Android e iOS.

O novo título vem pelas mãos de Sam Barlow, já velho conhecido dos fãs de títulos narrativos por ser o criador de pérolas como Her Story e Telling Lies. Em sua nova obra, ele remota alguns dos elementos presentes nos anteriores, como a história toda contada em vídeos com atores de verdade e um mistério que deixa o jogador livre para explorar, mas com uma diferença: a trama, agora, se desenrola através das imagens.

Nos dois jogos anteriores, o usuário assistia a depoimentos e encontrava novas pistas a partir de palavras citadas pelos retratados. Em Immortality, porém, a atenção se volta a elementos do cenário, atores, obras de arte e demais aspectos presentes nos filmes estrelados por Marcel, que também abrem as portas para entrevistas e cenas dos bastidores que revelam mais sobre o mistério.

Entre inimizades, brigas motivadas pelo ego e o desaparecimento da atriz que, como a própria sinopse diz, poderia ser uma estrela se o mundo a tivesse visto, está o centro da jogabilidade de Immortality. Este é o game mais ambicioso de Barlow, já que ele não só traz cenas gravadas com atores de verdade, mas também os três longas completos estrelados por Marcel, acessado em partes de acordo com o olho vivo de cada jogador.

Trata-se, também, de um salto pela história. Enquanto Ambrosio e Minsky, os dois primeiros filmes, foram lançados entre 1968 e 1970, o terceiro veio apenas em 1999. Two of Everything marca a última vez que a atriz foi vista e pode ser a chave para a resolução do mistério de seu desaparecimento, uma tarefa que, se a tradição dos games de Barlow é indicativo, não será nada simples e, muito menos, previsível.

Como todo bom filme de mistério, inclusive, Immortality tem poucas informações divulgadas, com trailers detalhando a jogabilidade e mostrando algumas imagens — que também podem servir de pistas do que fazer. Porém, há pouco sobre a trama em si, seus outros personagens e, principalmente, indícios do que aconteceu com Marcel. Assim que é bom, já que, como no caso de Her Story e Telling Lies, estamos diante de uma experiência que merece ser jogada e não lida a respeito.

Immortality também chega por meios bem acessíveis, estando disponível em suas versões PC e Xbox Series X|S no Game Pass e ainda para smartphones Android e iOS exclusivamente para assinantes da Netflix, através de sua recente iniciativa focada nos games.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: