Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.063,82
    -1.948,87 (-3,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Imigrantes haitianos consideram trabalhar no México após acampamento ser esvaziado

·1 minuto de leitura

Por Lizbeth Diaz

MONTERREY, México (Reuters) - Muitos haitianos se dirigindo aos Estados Unidos, enquanto milhares de seus compatriotas foram retirados de um acampamento na fronteira, estão pensando em encontrar emprego no México, se as medidas para limitar a entrada aos Estados Unidos permanecerem rígidas.

Na sexta-feira, os EUA disseram que um acampamento de fronteira entre as cidades de Del Rio, no Texas, e Ciudad Acuña, no México, haviam sido esvaziados de milhares de imigrantes, a maioria deles haitianos. Alguns foram retirados do país, outros permaneceram nos EUA por enquanto.

Faz semanas que haitianos têm fugido do caos econômico, político e social no país do Caribe, com milhares ainda se movendo na América Central e no México, na esperança de uma vida melhor nos Estados Unidos.

Milhares se espalharam pelo norte do México nas últimas semanas, gerando preocupação entre autoridades de que as travessias em massa como as de Acuña poderiam acontecer em outros lugares.

Na cidade de Monterrey, algumas centenas de quilômetros ao sudeste, cerca de 2.000 haitianos se reuniram, segundo contagem de abrigos de imigrantes.

Marck Lender, haitiano de 30 anos que viajou do Chile, disse que ficaria por lá mesmo até obter os documentos necessários para legalizar sua permanência.

“Tenho medo das autoridades de imigração, não quero ser deportado”, disse. “Se eu encontrar emprego no México, ficarei aqui”.

O Departamento de Segurança Nacional dos EUA afirmou que cerca de 30.000 imigrantes haviam sido encontrados em Del Rio nas últimas duas semanas e na sexta-feira não havia mais nenhum no acampamento que foi montado no local.

(Reportagem adicional de Elida Moreno na Cidade do Panama)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos