Mercado abrirá em 6 h 27 min

IMC sai do Panamá com acordo de US$40 mi para venda de operação em aeroporto

Aeroporto Internacional de Tocumén, na Cidade do Panamá

SÃO PAULO (Reuters) - A IMC comunicou nesta segunda-feira que assinou acordo para vender sua operação de restaurantes no Aeroporto Internacional de Tocumén, no Panamá, para a Inflight Holdings Cayman por 40 milhões de dólares, marcando sua saída do país.

"A proposta prevê a aquisição integral da IMC Panamá, que abrange 13 lojas em funcionamento no terminal 1 de passageiros e a concessão para operar outras 11 unidades no terminal 2, que tem previsão de inauguração ainda no terceiro trimestre deste ano", afirmou a companhia em comunicado à imprensa.

A IMC, que contempla em seu portfólio marcas próprias e franqueadas, como Frango Assado, KFC e Pizza Hut, disse que é a maior operadora de restaurantes do Aeroporto de Tocumén, com 60% das lojas do Terminal 1, e em 2021 registrou localmente vendas totais de 14 milhões de dólares.

A empresa também acrescentou que valor da oferta equivale a aproximadamente 6 vezes o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do ano passado.

"Iremos destinar os recursos para um melhor balanceamento da estrutura de capital e redução da nossa dívida", disse no comunicado o presidente-executivo da IMC, Alexandre Santoro, acrescentando que a saída do Panamá contribui diretamente para a simplificação do negócio e disciplina financeira.

A conclusão da venda depende da aprovação de credores e outras condições e é esperada para meados de outubro deste ano.

Em agosto, a IMC acertou a venda da operação e do direito de licenciamento da marca Carl's Jr. no Panamá para a Excelencia y Superación por 2,1 milhões de dólares.

(Por Paula Arend Laier)