Mercado abrirá em 1 h 13 min
  • BOVESPA

    110.140,64
    -1.932,91 (-1,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.874,91
    -1.144,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,79
    -0,09 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.923,90
    -6,90 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    23.437,55
    -361,34 (-1,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,15
    -10,17 (-1,86%)
     
  • S&P500

    4.179,76
    +60,55 (+1,47%)
     
  • DOW JONES

    34.053,94
    -39,02 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.835,94
    +15,78 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.637,75
    -209,00 (-1,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5009
    +0,0112 (+0,20%)
     

Imagens de satélites mostram do espaço a massa de ar frio que congelou os EUA

A forte massa de ar frio que veio do Ártico para congelar os Estados Unidos, descendo até o Golfo do México e formando o ciclone que atingiu a América do Norte, foi registrada do espaço por satélites em órbita. Diversos modelos climáticos já haviam ilustrado o movimento, mas os registros mostram uma visão do que realmente está acontecendo.

A frente fria vinda do Círculo Polar Ártico migrou para o sul dos Estados Unidos na última quarta-feira (21), encontrando uma massa de ar quente no Golfo do México e formando um sistema de baixa pressão. O choque gerou um ciclone bomba, que fez as temperaturas na América do Norte caírem à casa dos -50ºC.

As imagens do vídeo abaixo foram captadas em infravermelho pelo satélite GOES-16, da agência estadunidense National Oceanic and Atmospheric Administration.

Explicando a massa de ar frio que afeta os EUA

A distorção observada no vértice polar já antecipava o surto meteorológico da última semana. A corrente de jato polar que circula o Ártico naturalmente apresenta oscilações maiores ou menores ao longo do ano.

No vídeo mais acima, é possível ver a descida de um bolsão de ar cuja velocidade do vento passou de 120 nós (220 km/h). Eles são grandes gatilhos para fortes chuvas e, durante a última semana, para a tempestade de neve que atinge o continente. As linhas em azul que oscilam sobre a imagem representam limites de temperatura: o contorno mais escuro é o de 0ºC, enquanto o azul mais claro chega até -17ºC. É possível ver azul mais escuro chegando ao estado do Texas e até atravessando a fronteira dos Estados Unidos com o México.

Já as imagens registradas por outro satélite, o GOES-18, mostram a formação de nuvens na região. No início do vídeo, elas aparecem em azul para melhorar sua visualização durante o período noturno. Mais adiante, é possível ver as nuvens em cor natural durante o dia enquanto elas avançam até o Golfo do México.

De acordo com especialistas, é possível que o vórtice polar se estenda dessa forma novamente por volta da metade do mês de janeiro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: