Mercado abrirá em 33 mins
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,96
    -0,78 (-0,99%)
     
  • OURO

    1.648,60
    -7,00 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    18.908,81
    -223,33 (-1,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    433,22
    -11,32 (-2,55%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.964,73
    -53,87 (-0,77%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.296,75
    -80,00 (-0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1495
    +0,0519 (+1,02%)
     

Imagens de satélite mostram pior seca em 500 anos na Europa

Imagens de satélite mostram a gravidade da seca na Europa — a pior em 500 anos —, consequência de um período sem chuvas entre julho e agosto deste ano. As imagens foram capturadas pelo Programa Copernicus, da União Europeia (UE) — mais especificamente, o satélite Sentinel 2. A cobertura vai da Península Ibérica e Reino Unido até o Leste Europeu.

Entre as principais regiões afetadas, estão o sul e leste da Inglaterra, o norte da França, grandes porções da Alemanha, a Polônia e todo o leste europeu. Como pode ser visto nas imagens, postadas no Twitter pela conta oficial do Programa Copernicus, tais regiões tiveram os maiores contrastes na vegetação, com seus declínios sendo impactantes até mesmo a olho nu. As imagens mostram um comparativo com os mesmos meses em 2021.

Na postagem acima, lê-se:

Em 2022, a seca afetou toda a Europa. Observe como nosso continente mudou com esse mosaico de imagens capturadas pelo Sentinel 2, do Copernicus, entre 1º de julho e 31 de agosto.

Verão europeu e sua pior seca em cinco séculos

Além do impacto visual mostrado pelas imagens de satélite, o Observatório Global da Seca indicou que 47% da Europa esteve em condições climáticas de alerta durante o mês de agosto, o que é caracterizado pela falta de umidade no solo e efeitos negativos na vegetação, com incêndios florestais e rios abaixo do nível normal, por exemplo.

A atual seca vem sendo descrita como a pior dos últimos 500 anos, sendo que rios como o Danúbio, o Reno e o Pó apresentaram níveis tão baixos que o transporte fluvial foi interditado, e o clima quente e seco em excesso aumentou muito o risco de incêndios, como o que ocorreu no Parque Natural de Las Batuecas-Sierra de Francia e em Málaga, na Espanha, bem como em áreas próximas à cidade de Bordeaux, na França.

A última grande seca de proporções semelhantes no continente aconteceu em 1540.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: