Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.940,21
    -1.532,93 (-4,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Destino turístico, Ilhas Maldivas podem desaparecer até o fim do século

·1 minuto de leitura
  • Ilhas Maldivas devem ficar totalmente submersas até o fim do século

  • Isso deve acontecer caso a previsão do Fórum Mundial de aumento do nível dos oceanos se concretize

  • Arquipélago tem mais de mil ilhas e já enfrenta problemas de erosão e enchente

As Ilhas Maldivas vão sumir do mapa até o ano de 2100, caso a devastação do meio ambiente continue no ritmo em que está hoje. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, o nível dos oceanos deve subir 1,1 metro nos próximos oito anos, e se isso continuar, o arquipélago paradisíaco de 1.190 ilhas - que hoje vive do turismo - ficará debaixo d’água. As informações são da Época Negócios.

Leia também:

Dificuldades no país

Hoje, a maior parte do arquipélago está a somente um metro acima do oceano e 90% das ilhas já tiveram enchentes, segundo Aminath Shauna, ministra do Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Tecnologia das Maldivas. Em entrevista à CNBC, ela afirmou que 97% já enfrentam processos de erosão da costa e 64% já passa por erosões em série. 

“Nossa renda, nossa alimentação e nossa sobrevivência dependem de como lidamos com essas vulnerabilidades hoje. O futuro do nosso país, o futuro do nosso povo, o futuro da nossa cultura, tudo depende da nossa ação hoje”, disse Aminath. “A mudança climática é real e somos o país mais vulnerável do mundo.”

As Maldivas precisaram adotar medidas adaptativas para reduzir o impactos ambientais, como diminuir a emissão de carbono, e agora fará investimentos na matriz energética. 

Entretanto, a ministra lembrou que somente essas medidas pontuais não serão o bastante e pediu ajuda do mundo todo para o país e para outros Estados formados por ilhas.