Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.979,96
    +42,09 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.789,31
    +417,33 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,05
    -0,44 (-0,67%)
     
  • OURO

    1.869,00
    +1,00 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    43.254,93
    -1.173,18 (-2,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.215,44
    -37,70 (-3,01%)
     
  • S&P500

    4.127,83
    -35,46 (-0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.060,66
    -267,13 (-0,78%)
     
  • FTSE

    7.034,24
    +1,39 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    27.877,02
    -529,82 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    13.177,50
    -34,50 (-0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4304
    +0,0003 (+0,00%)
     

Iguatemi mais que triplica lucro 1º tri, mas pandemia derruba receitas

Aluisio Alves
·1 minuto de leitura
Unidade do Iguatemi em São Paulo (SP)

(.)

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O Iguatemi mais que triplicou seu lucro do primeiro trimestre, uma vez que a forte redução das despesas financeiras e do volume de impostos compensou na última linha a piora operacional com novo fechamento dos shoppings devido à pandemia.

A companhia anunciou nesta terça-feira que seu lucro líquido de janeiro a março somou 39,84 milhões de reais, um salto de 220% em relação a igual etapa de 2020, quando o setor já havia sido afetado por um primeira onda de medidas de isolamento social que fecharam seus shoppings por meses.

Na semana passada, a rival Multiplan divulgou queda de quase 74% do lucro líquido do primeiro trimestre com queda de cerca de 18% no faturamento.

Agora refletindo novas medidas devido ao recrudescimento da doença pelo país no começo de 2021, o Iguatemi viu a receita bruta cair 4,6% ano a ano, para 193,1 milhões de reais. Já o faturamento líquido subiu 7,6%, devido sobretudo a uma política de escalonamento dos descontos para lojistas nos aluguéis.

Também refletindo redução de despesas operacionais, o resultado da companhia medido pelo Ebitda no trimestre teve queda de apenas 0,7%, a 100,3 milhões de reais. Mas a margem Ebitda caiu 5,1 pontos percentuais, para 60,2%.

A companhia viu seu índice de inadimplência líquida saltar 7,6 pontos percentuais sobre um ano antes, para 11,3%. A taxa de ocupação caiu quase quatro pontos, para 90,3%.

A empresa afirmou que tem atualmente 100% das suas unidades abertas e funcionamento em regime de 8 a 12 horas diárias, com capacidade de utilização de 73,5%.