Mercado abrirá em 22 mins
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,69
    +0,94 (+1,57%)
     
  • OURO

    1.722,40
    -11,20 (-0,65%)
     
  • BTC-USD

    51.757,77
    +2.835,81 (+5,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.033,49
    +45,39 (+4,59%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.668,15
    +54,40 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.126,00
    +70,75 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8784
    +0,0163 (+0,24%)
     

IGP-M tem alta de 1,92% na 1ª prévia de fevereiro com pressão do atacado, diz FGV

Luana Maria Benedito
·2 minuto de leitura

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou levemente a alta a 1,92% na primeira prévia de fevereiro, depois de subir 1,89% no mesmo período do mês anterior, diante do aumento nos preços no atacado, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

No período, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do IGP-M, registrou avanço de 2,54%, contra 2,42% na primeira prévia de janeiro.

"O Índice de Preços ao Produtor (IPA), indicador que exerce a maior influência sobre o IGP, segue em aceleração refletindo os aumentos registrados nos preços de commodities agrícolas e industriais", disse em nota André Braz, coordenador dos índices de preços. "Tais pressões inflacionárias estão alimentando repasses pela cadeia produtiva."

Os Bens Intermediários aceleraram sua alta de 1,38% no primeiro decêndio de janeiro para 2,34% no mesmo período deste mês, refletindo a inflação dos materiais e componentes para a manufatura.

Para o consumidor, a pressão ficou menor, uma vez que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, passou a subir 0,19% na primeira prévia de fevereiro, de uma alta de 0,38% no mês anterior.

Entre os componentes do IPC, o destaque foi o grupo Habitação, que abandonou a alta de 1,06% registrada no mês passado para recuar 0,21% na primeira prévia de fevereiro. O item tarifa de eletricidade residencial, que passou de alta de 3,40% para queda de 2,48%, foi um dos principais responsáveis por esse comportamento.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou a alta a 0,60% no primeiro decêndio de fevereiro, de 0,94% antes.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.