Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,44
    +0,30 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.886,90
    +2,10 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    23.268,15
    +475,88 (+2,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    534,56
    +8,61 (+1,64%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.611,30
    -74,17 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    12.748,50
    -28,25 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5767
    -0,0004 (-0,01%)
     

IGP-M tem alta de 0,45% em dezembro depois de 4 meses de deflação

Mulher faz compras em supermercado de São Paulo

BRASÍLIA (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) registrou alta de 0,45% em dezembro, após quatro meses seguidos de deflação, mostrando uma aceleração de preços de alguns alimentos importantes, principalmente ao produtor, mostraram dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira.

Ainda assim o dado veio abaixo da alta de 0,54% esperada pelo mercado, segundo pesquisa da Reuters. Com o resultado de dezembro, o índice fecha o ano com avanço de 5,45%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, subiu 0,47% em dezembro, após queda de 0,94% em novembro. Entre os alimentos, alguns dos maiores aumentos ao produtor foram registrados nos preços de feijão (de -1,45% em novembro para 15,36% em dezembro), bovinos (de -2,20% para 1,55%) e óleo de soja refinado (de 2,57% para 7,35%).

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, desacelerou a alta, registrando aumento de 0,44% em dezembro, ante 0,64% em novembro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação, com saúde e cuidados pessoais, gasolina e passagens aéreas entre os destaques.

Alguns alimentos, contudo, também viram aceleração da alta de preços, como tomate (de 18,13% para 19,12%) e cebola (17,36% para 24,80%).

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,27% em dezembro, ante 0,14% em novembro.

O IGP-M calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

(Por Isabel Versiani)