Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,59 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,08 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,60
    -0,55 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.813,20
    -48,20 (-2,59%)
     
  • BTC-USD

    38.776,11
    -1.352,73 (-3,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,10
    -31,37 (-3,16%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,66 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.937,75
    -43,50 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0733
    -0,0446 (-0,73%)
     

Commodities pressionam inflação ao produtor e IGP-M acelera alta em maio, diz FGV

·2 minuto de leitura
Carga de cana-de-açúcar é colocada em caminhão em fazenda de Ribeirão Preto, SP

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de commodities dispararam e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 4,10% em maio, depois de avanço de 1,51% em abril, ficando levemente acima das expectativas dos economistas.

A projeção para a leitura divulgada nesta sexta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV) era de alta de 4,00% em pesquisa da Reuters. Com o resultado do mês, o índice acumulou em 12 meses alta de 37,04%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, passou a subir em maio 5,23%, após alta de 1,84% no mês anterior.

"Os preços de commodities importantes voltaram a pressionar a inflação ao produtor", explicou em nota André Braz, coordenador dos índices de preços, chamando a atenção para o avanço nas taxas de variação dos itens minério de ferro (de -1,23% para 20,64%), cana-de-açúcar (de 3,43% para 18,65%) e milho (de 8,70% para 10,48%). "Essas três commodities responderam por 62,9% do resultado do IPA."

Entre os componentes do índice, o grande destaque foi o grupo Matérias-Primas Brutas, que disparou 10,15% em maio, após variar 1,28% em abril.

A pressão da alta dos preços para o consumidor também ficou maior no mês, com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), de peso de 30% sobre o índice geral, acelerando a alta a 0,61% em maio, de 0,44% em abril.

O grupo Habitação foi o principal responsável por essa leitura, com ganho de 1,16% em maio, ante alta de 0,39% no mês anterior. Os preços da tarifa de eletricidade residencial aceleraram a alta a 4,38% este mês, contra 0,06% em abril.

O Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), por sua vez, passou a subir 1,80% no período, de avanço de 0,95% em abril.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Veja abaixo a variação dos grupos (em %):

Abril Maio

IGP-M +1,51

+4,10

IPA +1,84

+5,23

.Estágios

..Bens Finais +1,11

+1,59

..Bens Intermediários +3,16

+2,59

..Matérias Primas Brutas +1,28

+10,15

.Origem

..Produtos Agropecuários +1,75

+5,17

..Produtos Industriais +1,88

+5,25

IPC +0,44

+0,61

.Alimentação +0,19

+0,31

.Habitação +0,39

+1,16

.Vestuário -0,03

+0,45

.Saúde e Cuidados Pessoais +0,99

+0,89

.Educação, Leitura e Recreação -0,76

-0,59

.Transportes +1,03

+0,75

.Despesas Diversas +0,37

+0,19

.Comunicação +0,36

+0,67

INCC +0,95

+1,80

.Materiais, Equipamentos e Serviços +1,88

+2,58

.Mão de Obra +0,01

+0,99

(Edição de Camila Moreira)