Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,19 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -22,40 (-1,24%)
     
  • BTC-USD

    18.130,56
    +362,51 (+2,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -37,24 (-10,05%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +121,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

IGP-M acelera alta a 2,23% em julho com pressão do atacado e gasolina no varejo, diz FGV

Por Luana Maria Benedito
·1 minuto de leitura
.
.

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) passou a subir 2,23% em julho, contra alta de 1,56% em junho, diante da forte alta nos preços do atacado e da gasolina no varejo, informou nesta quinta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A expectativa em pesquisa da Reuters era de avanço de 2,12% no mês <BRIGP=ECI>.

Os dados da FGV mostraram que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, acelerou a alta a 3,0% em julho, de 2,25% no mês anterior.

Um salto de 6,35% nas Matérias-Primas Brutas -- que haviam subido 2,57% no mês anterior -- foi o destaque para essa leitura, com os itens soja em grão, minério de ferro e bovinos oferecendo a maior pressão nos preços.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% sobre o índice geral, passou a subir 0,49% no período, ante variação positiva de 0,04% em junho.

Entre os subsetores do IPC, o grupo Transportes deu a maior contribuição para o resultado, acelerando a alta a 1,45% em julho, ante ganho de 0,21% no período anterior. Esse resultado partiu principalmente do comportamento dos preços da gasolina, que passaram a subir 4,45% em julho após avanço de 0,40% na última leitura.

O Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), por sua vez, subiu 0,84%, ante alta de 0,32% em junho.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.