Mercado fechado

IGP-DI tem segundo mês de deflação em agosto e alta em 12 meses recua para 8,67%

Frentista atende cliente em posto de gasolina no Rio de Janeiro

BRASÍLIA (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) marcou o segundo mês consecutivo de deflação em agosto, ainda sob o impacto da redução dos preços dos combustíveis e apontando também alívio em preços de itens ao consumidor como alimentação e educação, mostraram dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira.

O IGP-DI caiu 0,55% em agosto, contra queda de 0,44% esperada por analistas, segundo pesquisa da Reuters, e após uma retração de 0,38% em julho.

Em 12 meses, o índice passou a acumular alta de 8,67%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu 0,63% no mês passado, ante queda de 0,32% no mês anterior. A taxa do grupo Bens Finais recuou 0,90%, influenciada por uma queda de 7,10% dos combustíveis para consumo.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou -0,57% em agosto, após queda de 1,19% em julho.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,09% em agosto, ante alta de 0,86% no mês anterior.

“Os combustíveis fósseis foram determinantes para a desaceleração da inflação ao produtor e ao consumidor", afirmou em nota André Braz, coordenador dos índices de preços da FGV. "No IPA, a gasolina caiu 8,83%, refletindo as reduções de preço deste combustível na refinaria, onde está livre de impostos e frete. No IPC, o preço da gasolina caiu 11,62%, devido a redução do ICMS e dos preços na refinaria.”

(Por Isabel Versiani)