Mercado fechado

IGP-10 tem alta de 1,07% no primeiro mês de 2020, aponta FGV

Valor

Em 12 meses, indicador acumula elevação de 7,81% O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 1,07% em janeiro de 2020, depois de avançar 1,69% um mês antes. Com esse resultado, o índice acumula alta de 7,81% em 12 meses. No primeiro mês do calendário anterior, o índice havia registrado queda de 0,26%.

Com peso de 60%, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) avançou 1,38% em janeiro, seguindo elevação de 2,26% um mês antes. Na análise por estágios de processamento, Bens Finais subiram 1,68% no início de 2020, após incremento de 2,70% em dezembro de 2019. Bens Intermediários deixaram acréscimo de 0,20% no mês final de 2019 para 1,18% em janeiro de 2020 enquanto as Matérias-Primas Brutas passaram de 4,12% para 1,26% de aumento, com contribuição dos itens: bovinos (21,31% para -1,68%), soja (em grão) (3,29% para -0,84%) e mandioca (aipim) (9,60% para -2,22%).

Marcello Casal Jr/ABr

Com peso de 30% no IGP-10, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) marcou alta de 0,51% em janeiro, mais branda que a taxa anterior, de 0,75%. Das oito classes de despesa componentes do índice, o destaque ficou com o grupo Despesas Diversas, cuja taxa passou de 4,62% para 0,20% do fim de 2019 para o início de 2020.

Mudaram de rumo entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020 os grupos Habitação (0,03% para -0,61%), Educação, Leitura e Recreação (1,09% para -0,29%). Comunicação teve desaceleração (0,28% para 0,22%). As contribuições para estes movimentos partiram dos seguintes itens: tarifa de eletricidade residencial (-0,26% para -3,41%), passagem aérea (21,33% para -12,00%) e mensalidade para internet (0,79% para 0,22%).

Em contrapartida, subiram mais os grupos Transportes (0,56% para 1,09%), Vestuário (0,05% para 0,45%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,25% para 0,34%) e Alimentação (1,47% para 1,96%). Nestas classes de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens gasolina (1,70% para 3%), acessórios do vestuário (-0,27% para 1,06%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,09% para 0,52%) e hortaliças e legumes (-2,69% para 3,81%).

Com os 10% restantes, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou incremento de 0,24% em janeiro, ante alta de 0,06% um mês antes. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de dezembro de 2019 para janeiro de 2020: Materiais e Equipamentos (-0,02% para 0,27%), Serviços (0,09% para 0,26%) e Mão de Obra (0,11% para 0,23%).