Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.440,27
    -50,36 (-0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

IGP-10 tem 1° recuo mensal desde final de 2021 com redução do ICMS e alívio de commodities

Frentista abastece veículo em posto de combustíveis em Cuiabá

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - A redução do ICMS sobre os setores de energia elétrica e combustíveis seguiu fazendo efeito e o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) teve em agosto sua primeira deflação desde o final do ano passado, também refletindo queda nos custos de commodities importantes.

Dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostraram nesta quarta-feira que o índice caiu 0,69% neste mês, depois de subir 0,60% em julho. A deflação mensal foi a primeira desde dezembro de 2021 (-0,14%) e a mais intensa desde dezembro de 2018 (-1,23%).

A expectativa em pesquisa da Reuters era de queda de 0,60%, e, com o resultado do mês, o IGP-10 passou a acumular avanço em 12 meses de 8,82%, primeira leitura de um dígito desde julho de 2020 (+8,57%).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, teve queda de 0,65% em agosto, depois de subir 0,57% em julho.

"Importantes commodities sustentam a queda do indicador (IPA), com destaque para minério de ferro (de -5,93% para -11,09%), carne bovina (de -0,46% para -5,93%) e soja (de -0,78% para -2,14%)", disse em nota André Braz, coordenador dos índices de preços.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, teve forte baixa de 1,56% no mês, contra alta de 0,42% em julho.

Essa leitura ainda repercute a lei que estabelece um teto para as alíquotas de ICMS sobre vários setores econômicos, entre eles combustíveis e energia, explicou Braz, embora tenha alertado que seu efeito "deve perder força ao longo do mês de agosto".

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez subiu 0,74% em agosto, abaixo da taxa de 1,26% no período anterior.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.