Mercado fechará em 4 h 7 min
  • BOVESPA

    113.690,21
    +2.506,26 (+2,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.494,01
    +116,54 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,11
    +1,83 (+2,99%)
     
  • OURO

    1.717,50
    +1,70 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    49.710,43
    -1.062,63 (-2,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    996,38
    +9,17 (+0,93%)
     
  • S&P500

    3.818,67
    -1,05 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.269,02
    -1,07 (-0,00%)
     
  • FTSE

    6.640,52
    -34,95 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.711,75
    +30,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7458
    -0,0329 (-0,49%)
     

Igah Ventures capta fundo de US$ 130 mi e atrai SoftBank

Felipe Marques
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A gestora de venture capital Igah Venture levantou um novo fundo de US$ 130 milhões para investir em startups no Brasil, tendo SoftBank como um de seus apoiadores.

A Igah já começou a construir o portfólio do novo fundo e fez seis aportes, com outros dois programados para as próximas semanas, disse Pedro Sirotsky Melzer, o cofundador e sócio-gestor da empresa, em entrevista. Entre os investimentos estão a empresa de software de reconhecimento facial Acesso Digital e a de telemedicina Conexa Saúde. A gestora General Atlantic também investiu nas duas empresas.

“Esperamos ter até 17 empresas no portfólio e devolver aos nossos investidores pelo menos quatro vezes o capital que investiram”, disse Melzer.

O ano passado foi recorde para investimentos em venture capital no Brasil, com cerca de R$ 14,6 bilhões investidos por fundos da modalidade em 200 empresas, segundo dados da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP) e da KPMG. O volume é 35% maior que o de 2019 e pela primeira vez no Brasil os investimentos de venture capital superaram os de private equity. As fintechs foram os principais alvos dos fundos, com os bancos digitais ganhando espaço em meio às restrições de circulação.

A Igah foi criada no ano passado, depois da combinação da gestora e.bricks ventures, fundada por Pedro e Eduardo Melzer, com a Joá Investimentos, que tem entre seus investidores o fundador da Vinci Partners, Gilberto Sayão, o ex-presidente do Bank of America no Brasil, Rodrigo Xavier, e o apresentador Luciano Huck.

A Igah tem cerca de 12 funcionários e, além de Pedro Melzer, Márcio Trigueiro e Luis Magon também são sócios-gestores. A empresa tem cerca de US$ 250 milhões sob gestão atualmente, segundo Melzer.

O SoftBank “investiu na Igah depois que ficamos entusiasmados com as empresas de seu fundo mais recente,” disse Paulo Passoni, sócio do SoftBank na América Latina. “Conhecemos os sócios da Igah há muito tempo e estamos orgulhosos de fazer parte de sua jornada”.

(Atualiza quarto parágrafo com detalhes sobre indústria de venture capital no Brasil. Uma versão anterior corrigiu valor captado no título e no primeiro parágrafo.)

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.