Iene cai ante dólar com convocação de eleições no Japão

O iene caiu para o nível mais baixo em dois meses frente ao dólar, depois de o primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, convocar eleições antecipadas para 16 de dezembro - com a perspectiva de que o Partido Liberal Democrático (PLD), de oposição, voltar ao poder. O líder do PLD, Shinzo Abe, tem feito reiterados discursos propondo que o banco do Japão (BoJ, banco central do país) imprima mais dinheiro para estimular a recuperação da economia.

"Embora já esperasse a convocação de eleições antecipadas, o mercado foi surpreendido pelo fato de Noda ter finalmente puxado o gatilho. É muito possível que vejamos alguma medida surpreendente do BoJ no futuro, inclusive com compras de bônus estrangeiros ou uma elevação da meta de inflação", disse Masafumi Takada, diretor de câmbio do BNP Paribas.

O euro, por sua vez, teve sua maior alta frente ao dólar em dois meses, ainda em reação aos informes de que a Grécia poderá receber recursos da ordem de 44 bilhões de euros (os 31,5 bilhões de euros retidos pela União Europeia desde junho e as parcelas de ajuda previstas para até o fim de 2012); os ganhos foram limitados devido à cautela do mercado antes da divulgação do PIB da zona do euro no terceiro trimestre, nesta quinta-feira, e às preocupações causadas pelo que parece ser uma nova ofensiva militar de Israel contra o território palestino de Gaza.

Outro fator negativo foi a declaração do comissário de Assuntos Econômicos e Monetários da União Europeia, Olli Rehn, de que as condições da Espanha são satisfatórias. Manifestações de protesto contra medidas de austeridade aconteceram em cidades de pelo menos 20 países europeus.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,2735, de US$ 1,2705 na véspera; a máxima do dia foi em US$ 1,2779. O iene estava cotado a 80,21 por dólar, de 79,39 por dólar na terça-feira, depois de ter chegado a cair a 80,31 por dólar. As informações são da Dow Jones.

Carregando...