Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.426,00
    -522,45 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.831,95
    -213,15 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.861,20
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    54.365,65
    -734,51 (-1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.402,14
    -65,80 (-4,48%)
     
  • S&P500

    4.704,54
    +15,87 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.870,95
    -60,10 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.255,96
    -35,24 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    25.319,72
    -330,36 (-1,29%)
     
  • NIKKEI

    29.683,09
    +84,43 (+0,29%)
     
  • NASDAQ

    16.494,75
    +13,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3313
    +0,0125 (+0,20%)
     

IEA espera que Opep+ reduza lacuna 'artificial' na oferta de petróleo

·1 min de leitura
Unidade de armazenamento de petróleo no Texas

LONDRES (Reuters) - O chefe da Agência Internacional de Energia, Fatih Birol, disse nesta quarta-feira que os mercados de petróleo estão sofrendo com uma lacuna artificial na oferta, e que espera que os países produtores da Opep+ façam mais para reduzir os preços em uma próxima reunião.

"(O) fator que gostaria de sublinhar que causou estes preços elevados é a posição de alguns dos principais fornecedores de petróleo e gás; e alguns dos países não assumiram, a nosso ver, uma posição útil nesse contexto", disse Fatih Birol, em uma apresentação online.

"Algumas das principais tensões nos mercados de hoje podem ser consideradas um aperto artificial... porque nos mercados de petróleo hoje vemos cerca de 6 milhões de barris por dia em capacidade de produção sobressalente que estão com os principais produtores, países da Opep+", acrescentou o chefe da IEA (na sigla em inglês).

A Opep+, formada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo, a Rússia e seus aliados, ignorou os apelos dos Estados Unidos e de alguns outros consumidores para bombear mais.

Birol disse esperar que, quando o clube de produtores se reunir em 2 de dezembro para discutir a política, "tome as medidas necessárias para aliviar os mercados globais de petróleo e ajudar a baixar os preços a níveis razoáveis".

A Rússia pode "facilmente" aumentar suas exportações de gás para a Europa em cerca de 15% para diminuir um aperto no fornecimento e nos preços, acrescentou Birol.

(Por Noah Browning e Shadia Nasralla)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos