Mercado fechado

ID Estudantil: MEC lança carteirinha digital que garante meia para estudantes

Fidel Forato

Como anunciado na sexta-feira (22), pelo ministro da Educação Abraham Weintraub, foi lançado oficialmente nesta segunda (25) o novo app do Ministério da Educação, ID Estudantil. É a tradicional carteirinha de estudante, agora, em versão digital para que alunos obtenham benefícios como meia-entrada em eventos culturais e esportivos — shows, teatro, museu, cinemas, jogos —, de maneira mais simples e gratuita.


Durante o evento de lançamento, realizado na sede do Inep, o Ministro Weintrub explicou sobre a importância do documento virtual que “vai permitir que todos os estudantes do Brasil façam remotamente, dos seus celulares, a carteirinha digital.” Além disso, Weintraub comentou que “as outras entidades vão continuar a poder emitir, mas a do MEC é sem custos para o aluno.”

Reduzindo a burocracia, a identificação e a fiscalização dos estudantes, em eventos ou salas de cinema, será feita através de leitura de QR Code, localizado abaixo da foto da pessoa no aplicativo.

O combate à fraude será feito também por empresários organizadores de eventos. “Temos o aplicativo ID Validador, em que qualquer estabelecimento pode checar a carteirinha. E ele também vai validar carteiras emitidas outras instituições”, disse o presidente do Inep, Alexandre Lopes.

Evento de lançamento da ID Estudantil (Fonte: Divulgação/ MEC)

Como funciona?

Gratuita para os estudantes, a ID Estudantil custará para o governo Federal R$ 0,15 por carteirinha emitida. Para ter acesso ao documento, basta o aluno estar devidamente matriculado, com seus dados no Sistema Educacional Brasileiro (SEB), que é o banco de dados nacional de estudantes do Ministério da Educação (MEC).

Para assegurar o acesso à ID Estudantil, um representante de cada instituição de ensino, pública ou particular, deve enviar as informações dos alunos para o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) alimentar o SEB.

Nesse contato entre as instituições, devem ser informados o CPF, a data de nascimento, o curso, a matrícula, o ano e o semestre de ingresso dos estudantes. Os alunos podem conferir se a sua instituição de ensino repassou os dados ao sistema no próprio site da ID Estudantil.

Interface do novo app do Governo, em Androids (Captura: Fidel Forato/Canaltech)

Se todas as informações até agora mencionadas estiverem de acordo, o estudante deve baixar o aplicativo nas lojas virtuais e criar sua conta. Para comprovar sua identidade, os estudantes de 18 anos ou mais devem tirar uma foto do próprio rosto e outra da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou da Carteira de Identidade (RG). A validação deve evitar a falsificação do documento. No caso dos menores de idade, será preciso que o responsável legal baixe o app e autorize o acesso do menor. Depois disso, os alunos poderão fazer o download da ID Estudantil.

Primeiras impressões

Como parte das ações de transparência do Governo Federal, é possível acompanhar em tempo real o número de carteirinhas emitidas pelo site da ID Estudantil e até o momento foram oito cadastros. O baixo número de aderência pode ser justificado pelo fato das instituições de ensino ainda não terem credenciado seus alunos.


No entanto, encontrar o app correto nas lojas de aplicativos pode gerar alguma confusão. É que usuários alegam, no Twitter, não terem encontrado o ID Estudantil correto (e o Canaltech alerta: cuidado, pois existem alguns aplicativos falsos!). Mas no site oficial do ID Estudantil você já encontra os links oficiais para baixar o app na Play Store e também na App Store.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: