Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.499,69
    -760,06 (-0,75%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.239,47
    -468,25 (-1,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,61
    -1,24 (-3,11%)
     
  • OURO

    1.905,00
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    12.968,53
    -181,49 (-1,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,49
    -4,92 (-1,87%)
     
  • S&P500

    3.392,64
    -72,75 (-2,10%)
     
  • DOW JONES

    27.603,11
    -732,46 (-2,58%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.438,00
    -225,50 (-1,93%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6462
    -0,0177 (-0,27%)
     

Ibram eleva em US$4,5 bi previsão de investimentos em mineração no Brasil até 2024

Por Roberto Samora
·1 minuto de leitura

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Os investimentos em novos projetos de mineração, expansões e gestão e segurança de barragens de rejeitos no Brasil atingirão 37 bilhões de dólares entre 2020 e 2024, estimou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), conforme informação enviada à Reuters.

A cifra representa um aumento de 4,5 bilhões de dólares ante projeção anterior para o período, divulgada em fevereiro deste ano.[nL1N2AC14I]

O aumento na estimativa foi realizado após recentes investimentos em projetos de mineração anunciados em várias partes do país, segundo o instituto que representa mineradoras.

O órgão disse ainda que planeja divulgar dados mais consolidados em outubro, o que pode "aumentar" as projeções, disse o Ibram.

Na esteira do aumento dos investimentos esperados, o Ibram e o Ministério de Minas e Energia vão organizar na próxima semana um debate com especialistas do mercado financeiro do Brasil, Canadá e Reino Unido para desenvolver mecanismos que aumentem a captação de recursos financeiros para o setor mineral brasileiro, via bolsas de valores do país e de outras nações.

Entre as instituições e empresas que participarão do debate estão B3, Comissão de Valores Mobiliários, XP Investimentos, Appian Capital Brazil, A10 Investimentos, a canadense TSX e London Stock Exchange, na próxima terça-feira.