Mercado abrirá em 6 h 18 min

IBP pede continuidade de ‘agenda de transformação’ na ANP após renúncia

André Ramalho

Décio Oddone, diretor-geral da agência, anunciou ontem sua saída antecipada do cargo Em meio à renúncia do diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Décio Oddone, o Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) reforçou, nesta quinta-feira (16/01) a importância da continuidade da “agenda de transformação” do setor e de prover os recursos necessários para que o órgão regulador dê conta de sua agenda para os próximos anos.

“A dimensão das mudanças em curso nas áreas de gás natural e refino vai demandar uma atuação ainda mais forte e dinâmica da ANP. O IBP entende ser essencial dotar a agência de recursos humanos e materiais necessários para atuar com segurança e celeridade nos processos, garantindo um ambiente institucional que possa atrair novos investidores, manter a confiança do mercado e reforçar o crescimento da indústria de O&G no Brasil”, comentou o instituto, em nota.

O diretor-geral da ANP, Decio Oddone, decidiu antecipar a sua saída do cargo

Leo Pinheiro/Valor

O IBP destacou que a atuação de Oddone marcou a retomada do setor e agradeceu pelo trabalho do diretor-geral em iniciativas como o retorno dos leilões de blocos exploratórios, a introdução de um calendário fixo de rodadas e a revisão das regras obrigatórias de conteúdo local.

“Essas e outras mudanças em curso representam uma melhora substancial no ambiente de negócios, traduzindo-se em mais investimentos, geração de empregos, renda e pagamento de tributos”, afirmou.

Oddone anunciou na quarta-feira (15/01) a antecipação do fim de seu mandato, que se encerraria em dezembro de 2020. Ele permanecerá no cargo até a aprovação de um substituto. Em carta enviada ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, o diretor afirma que já cumpriu a sua missão à frente do órgão regulador.

Indicado para comandar a ANP em 2016, durante o governo de Michel Temer, Oddone foi um dos homens de frente das mudanças regulatórias da indústria de óleo e gás dos últimos anos.