Mercado abrirá em 6 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,06
    +0,88 (+1,46%)
     
  • OURO

    1.746,90
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    64.662,73
    +4.007,31 (+6,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.396,86
    +102,87 (+7,95%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.890,49
    +1,37 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.863,39
    +366,14 (+1,28%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.969,50
    -6,25 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8422
    +0,0110 (+0,16%)
     

Ibovespa volta a flertar com 118 mil pontos, mas cenário doméstico não anima

Paula Arend Laier
·3 minuto de leitura
Sede B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa voltava a flertar com os 118 mil pontos nesta quinta-feira, apoiado pelo viés relativamente positivo em mercados acionários no exterior, enquanto Petrobras pressionava na ponta negativa, em meio a novos ruídos sobre sua política de preços.

Às 11:31, o Ibovespa subia 0,08%, a 117.719,12 pontos. O volume financeiro somava 7,2 bilhões de reais.

Em Wall St, o S&P 500 renovou marca histórica, ajudado por ações de tecnologia, um dia depois que o Federal Reserve reiterou promessa de manter os juros baixos até que a recuperação econômica esteja mais garantida.

No Brasil, analistas da Mirae Asset afirmaram que continua o sentimento de preocupação com o avanço da pandemia, dado o ritmo lento da vacinação, além de impasse no Orçamento de 2021.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), defendeu na quarta-feira que o Orçamento de 2021 seja sancionado, mesmo que com vetos ou necessidades de posteriores correções, e afirmou ainda que acordos precisam ser cumpridos.

Quanto à pandemia, o Brasil registrou na véspera mais 3.829 mortos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total no país desde o início da contagem no ano passado a 340.776. Também foram notificados 92.625 novos casos, com o total avançando a 13.193.205.

Em paralelo, foram aplicadas pouco mais de 24 milhões de doses de vacinas, sendo quase 19 milhões da primeira dose e cerca de 5 milhões da segunda. A população apta a receber a vacina é de 170 milhões de pessoas no Brasil.

"A pandemia ainda seguirá influenciando o rumo dos mercados, com atenção para o Brasil que ainda está na fase alta da contaminação e de mortes pelo vírus", avaliou a equipe da corretora Planner.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON recuavam 1,75% e 1,89%, respectivamente, em sessão de queda nos preços do petróleo, além de comentários da véspera do presidente Jair Bolsonaro de que um reajuste de 39% praticado pela estatal no preço do gás para distribuidoras é "inadmissível". Bolsonaro ainda disse que poderia haver mudanças na política de preços da companhia. A companhia disse que enviou questionamentos ao governo sobre a declaração.

- VALE ON subia 0,05%, em dia de queda do minério de ferro na China, enquanto siderúrgicas operavam sem sinal comum, com CSN ON em alta de 2,01% e USIMINAS PNA subindo 1,56%. GERDAU PN tinha variação negativa de 0,16%. A Usiminas acompanhou CSN e Gerdau e anunciou aumento de preços de aço a distribuidores válido a partir de 12 de abril, de acordo com o Itaú BBA, citando elevação de 10% para aço laminado à quente (BQ).

- CIELO ON avançava 2,71%, após anuncia nesta quinta-feira parceria com o Google para digitalização de pequenas e médias empresas no Brasil. Segundo a empresa de meios de pagamentos, a iniciativa pode impactar mais de 600 mil negócios, que terão acesso para criar perfil digital, abrir loja virtual e criar campanhas de publicidade online.

- MAGAZINE LUIZA ON valorizava-se 3,72%, em sessão de recuperação de papéis relacionados a comércio eletrônico, com VIA VAREJO ON em alta de 2,84% e B2W ON subindo 3,07%. Em Nova York, MERCADO LIVRE tinha elevação de 2,06%.

- ITAÚ UNIBANCO PN perdia 0,15% e BRADESCO PN cedia 0,2%, com bancos como um todo no vermelho. BANCO DO BRASIL ON caía 0,82%.

- FLEURY ON recuava 1,52%, após o grupo de medicina diagnóstica anunciar mudança no comando, com o conselho de administração elegendo Jeane Tsutsui como a nova presidente-executiva, em substituição a Carlos Marinelli.