Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.583,44
    +2.207,12 (+4,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Ibovespa tem nova sessão volátil com PEC e agenda no EUA no radar

·2 min de leitura

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa tinha mais uma sessão volátil nesta quarta-feira, com a atenção de investidores voltada à análise da PEC dos Precatórios em comissão do Senado e para a agenda de dados econômicos movimentada nos EUA, incluindo a ata da última reunião do Federal Reserve.

Às 12:14, o Ibovespa subia 0,61%, a 104.289,78 pontos. Na mínima até o momento, caiu a 102.464,29 pontos. Na máxima, avançou a 104.383,32 pontos. O volume financeiro somava 7,8 bilhões de reais.

Um dos focos de atenção no Brasil está voltado para a análise da PEC dos Precatórios na Comissão de Constituição e Justiça do Senado nesta quarta-feira.

Na véspera, o relator do texto e líder do governo na Casa, Fernando Bezerra (MDB-PE), anunciou seis mudanças na proposta, incluindo a definição do Auxílio Brasil como um programa social de caráter permanente no valor de 400 reais. A votação em plenário é esperada para a próxima semana.

A chefe de economia da Rico Investimentos, Rachel de Sá, disse que as incertezas ainda pesam sobre os ativos brasileiros. "O cenário 'dá para ser pior' ainda está sendo precificado", afirmou, em referência ao descontrole das contas públicas.

Nos EUA, a quarta-feira tinha cheiro de véspera de final de semana, já que os mercados norte-americanos fecham na próxima sessão em razão do feriado de Ação de Graças e encerram os negócios mais cedo na sexta-feira.

Antes disso, porém, uma bateria de dados econômicos ocupava as atenções, incluindo números de inflação, PIB e pedidos iniciais de auxílio-desemprego, com a parte da tarde ainda reservando a ata da última reunião de política monetária do Fed.

A pauta econômica ganha ainda mais relevância diante da expectativa do mercado por uma alta nos juros pelo Federal Reserve antes do inicialmente esperado, após recondução de Jerome Powell para mais um mandato à frente do Fed.

DESTAQUES

- BANCO INTER UNIT subia 4,6%, ensaiando uma recuperação após fechar na véspera na mínima desde 7 de janeiro. No setor de bancos, BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO ON valorizavam-se 0,9% cada.

- VALE ON registrava elevação de 1,7%, assim como siderúrgicas, na esteira de valorização das cotações dos futuros de minério de ferro na Ásia.

- PETROBRAS PN subia 1,4%, tendo no radar a divulgação do plano estratégico 2022-2026 pela companhia na quinta-feira. As negociações tinham ainda de pano de fundo a queda dos preços do petróleo no exterior.

- TIM ON recuava 0,7%. A empresa disse que não recebeu qualquer contato direto ou proposta da KKR, empresa de private equity norte-americana que fez uma oferta pela controladora da companhia brasileira, a Telecom Italia.

- LOJAS RENNER ON cedia 0,4%, apesar da proximidade da Black Friday, dado o cenário de inflação em alta e ciclo de aperto monetário, o que também enfraquecia outras empresas de vestuário. GRUPO SOMA ON marcava terceira queda consecutiva e cedia 4,3%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos