Mercado fechado

Ibovespa tem nova mínima em 2020; IRB Brasil desaba

Por Paula Arend Laier
.

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta segunda-feira, marcada pelo tombo da resseguradora IRB Brasil, enquanto Itaú Unibanco avançou antes do balanço previsto para após o pregão.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,05%, a 112.570,30 pontos, no menor nível desde 16 de dezembro. O volume financeiro da sessão somou 29,1 bilhões de reais.

A bolsa brasileira descolou de Wall Street, que encontrou suporte para ganhos em números da economia norte-americana e balanços corporativos, embora desdobramentos em relação ao surto de coronavírus na China tenham ditado volatilidade aos negócios.

Em Nova York, o S&P 500 fechou em alta de 0,73%.

O número de mortes em razão do vírus subiu para 908, todas menos duas na China continental, e o número total de infecções já supera 40 mil pessoas

O economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira, classificou o surto de coronavírus como mais um 'cisne negro' a atacar a economia mundial e gerar preocupações em razão da imponderabilidade dos eventos.

De acordo com o gestor Guilherme Foureaux, sócio na Paineiras Investimentos, as alocações para renda variável continuam acontecendo, mas a saída contínua de capital externo da bolsa brasileira, combinada à incerteza global potencializada pelo coronavírus têm endossado ajustes em carteiras locais.

"Agentes locais estão vendendo smalls caps e comprando bancos", observou.

Em 2020, as saídas de capital externo no segmento Bovespa superam as entradas em 23,4 bilhões de reais, conforme dados até o dia 6 de fevereiro.


DESTAQUES

- IRB BRASIL ON caiu 16,5%, tendo no radar nova correspondência da Squadra Investimentos a gestores reiterando entendimento de que há uma grande disparidade entre preço e valor nas ações da empresa de resseguros, "principalmente por uma percepção de parcela do mercado sobre a sustentabilidade dos seus elevados níveis de retorno sobre o capital". Na mínima, as ações chegaram a cair 17,2%. Em teleconferência com o pregão ainda aberto, o IRB disse que contratará uma auditoria extra para o balanço para tentar acalmar investidores.


- ITAÚ UNIBANCO PN valorizou-se 1,7%, antes da divulgação do resultado trimestral após o fechamento do pregão desta segunda. BRADESCO PN teve acréscimo de 1,07%. BANCO DO BRASIL ON teve variação negativa de 0,99%.


- VALE ON recuou 3,67%, acompanhando a fraqueza do setor de mineração e siderurgia no exterior. CSN encerrou com declínio de 4,4% e GERDAU PN fechou em baixa de 1,58%. USIMINAS PNA perdeu 3,43%.


- BB SEGURIDADE ON avançou 1,3%, após fechar o último trimestre do ano com lucro líquido ajustado de 1,1 bilhão de reais, ajudado principalmente pelo resultado financeiro. A companhia de resseguros também divulgou estimativas para 2020. Na máxima, mais cedo, a ação subiu mais de 2%.


- CVC BRASIL ON perdeu 6,03%, ampliando as perdas em fevereiro, diante de potenciais efeitos no setor de viagens e turismo em razão do surto de coronavírus, além da forte valorização do dólar ante o real.


- PETROBRAS ON subiu 0,38%, enquanto PETROBRAS PN ganhou 0,69%, mesmo com a queda dos preços do petróleo no exterior.