Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.811,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.974,87
    -61,18 (-0,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Recorde: Ibovespa tem maior alta pós-eleição desde 1994

Alta de segunda-feira da Ibovespa foi a maior em dias seguintes a vitórias presidenciais (Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Alta de segunda-feira da Ibovespa foi a maior em dias seguintes a vitórias presidenciais (Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
  • Bom resultado é reflexo das amplas alianças que o governo de Lula quer construir, afirmou economista;

  • Levantamento foi realizado por Bruno Imaizumi, da LCA Consultores;

  • Único outro momento que Ibovespa teve alta foi na primeira eleição de Dilma Rousseff.

Após a vitória eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que garantiu um terceiro mandato presidencial ao político, o Ibovespa teve sua maior alta em um dia após uma vitória presidencial desde 1994, apontou um levantamento realizado por Bruno Imaizumi, da LCA Consultores.

Na verdade, a bolsa brasileira só teve alta no dia seguinte após uma eleição presidencial em 2010, após a vitória da presidente Dilma Rousseff (PT), ainda assim, a alta da época de 1,26% é menor do que a ocorrida na última segunda-feira, quando a bolsa fechou em um saldo positivo de 1,31%.

"Essa reação relativamente benigna dos mercados domésticos aos desenvolvimentos políticos está, em boa medida, associada às sinalizações de que o governo eleito no domingo está construindo alianças num amplo espectro político", diz Imaizumi.

Confira abaixo o histórico das variações da Bolsa após a vitória dos presidentes.

  • Fernando Henrique Cardoso: -2,72%

  • Fernando Henrique Cardoso: -4,47%

  • Lula: -4,4%

  • Lula: -1,09%

  • Dilma: +1,26%

  • Dilma: -2,77%

  • Bolsonaro: -2,24%

  • Lula: +1,31%

O economista ainda comparou as subidas e as quedas da bolsa nesses dias com os movimentos do mercado financeiro internacional. Em sua conclusão, ele afirma que "parece ter sido um movimento totalmente interno mesmo. Vale notar, por exemplo, que no dia seguinte às eleições a nossa moeda registrou relevante valorização ante o dólar norte-americano, na contramão do comportamento observado pela maioria das divisas mundiais".

O dólar

O dólar fechou a segunda-feira com uma queda de 2,55%, fazendo com que a moeda brasileira fosse a que mais cresceu no período. A moeda americana está seguindo uma tendência de queda, que foi acelerada pela vitória do ex-presidente Lula. Nesta terça-feira, o dólar voltou a cair perante o real, recuando 0,92% no intradiário.