Mercado abrirá em 6 h 54 min

Ibovespa tem leve queda em dia de baixa liquidez e dólar ronda R$ 4,02

Marcelle Gutierrez e Lucinda Pinto

Investidores estão atentos ao cenário geral para 2020 e mostram otimismo O último pregão de 2019 tem baixa liquidez e investidores na expectativa por 2020. A melhora da projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) contemplada no boletim Focus foi o responsável pelo Ibovespa voltar ao patamar dos 117 mil pontos, mas o movimento comprador não se sustentou, principalmente após a abertura dos mercados em Nova York.

Perto de 13h10, o Ibovespa operava em baixa de 0,33%, aos 116.155 pontos. Na máxima, atingiu 117.086 pontos e, na mínima, 116.147 pontos.

Devido ao feriado de Ano Novo na terça-feira o volume financeiro está baixo, em R$ 3 bilhões, com projeção de R$ 8,03 bilhões até o fim do dia.

Pixabay

O Ibovespa abriu em alta, mas mudou o sinal após o início das operações em Nova York, onde as bolsas recuam em um movimento de realização de lucros após uma série de altas recordes na semana passada.

No ano, o Ibovespa caminha para encerrar com uma valorização da ordem de 32%. Somente em dezembro, o principal índice da bolsa sobe 7,3%, ao considerar o pregão de hoje, em andamento.

Assim, o índice da Bolsa paulista deve somar quatro anos seguidos de desempenho positivo. Em 2015, o índice caiu 13,31%, mas subiu 38,94% em 2016, avançou 26,86% em 2017 e teve alta de 15,03% em 2018.

Alejandro Ortiz, integrante da equipe econômica da Guide Investimentos, destaca que os investidores já operam na expectativa otimista para a economia brasileira em 2020 e hoje a divulgação do boletim Focus corroborou essa visão pela manhã, ao trazer a revisão para cima para a projeção do PIB do próximo calendário pela oitava semana consecutiva, para 2,30% de crescimento.

Até o fim do pregão, ele estima que a liquidez deve continuar apertada e com direção indefinida, podendo ocorrer um processo de realização de lucros no último dia útil do ano.

Câmbio

O dólar comercial acelerou o movimento de queda no fim desta manhã e caiu abaixo dos R$ 4,03, sob efeito, principalmente, da chamada disputa pela Ptax. A taxa de hoje será usada como referência para o vencimento do mercado futuro, na próxima quinta-feira. A queda mais intensa da cotação beneficia os vendidos em dólar futuro nesse mercado.

Ao redor de 13h10, o dólar comercial marcava R$ 4,01957, baixa de 0,76%. Um pouco mais cedo, a cotação registrou mínima de R$ 4,018. É a menor cotação desde o dia 6 de novembro, quando o dólar pronto chegou a ser negociado a R$ 3,9762.

No exterior, o mercado opera com tranquilidade, mas sem um sinal único entre as divisas emergentes.

Também contribui para o tom positivo do mercado local o resultado fiscal divulgado pelo Banco Central (BC), confirmando uma trajetória positiva das contas públicas.

Juros

A queda do dólar ante o real, o cenário positivo traçado pela pesquisa Focus e dados fiscais considerados favoráveis ajudaram os juros futuros a operar em leve queda neste último pregão do ano.

Às 13h13, o DI para janeiro/2025 era negociado a 6,47%, ante 6,51% no fechamento da sexta-feira passada. O DI janeiro/2021 tinha taxa de 4,57%, ante 4,58% no fechamento anterior. Já o contrato para janeiro/2027 cedia de 6,85% para 6,80%.