Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.048,03
    +375,27 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.301,77
    -100,93 (-0,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,25
    +1,29 (+1,55%)
     
  • OURO

    1.785,30
    +14,80 (+0,84%)
     
  • BTC-USD

    65.960,96
    +1.805,66 (+2,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.542,92
    +62,12 (+4,19%)
     
  • S&P500

    4.536,19
    +16,56 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    35.609,34
    +152,03 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.359,25
    -39,25 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4888
    -0,0074 (-0,11%)
     

Ibovespa tem 3º mês negativo e investidor ainda vê horizonte nebuloso

·3 minuto de leitura
Sede B3

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa brasileira fechou quase estável nesta quinta-feira, cravando o terceiro mês seguido no vermelho, com agentes do mercado pessimistas para o médio prazo, diante da deterioração dos cenários para inflação e crescimento no Brasil e no exterior.

Principal índice acionário do país, o Ibovespa teve baixa de 0,11%, aos 110.979,10 pontos, fechando o mês com perda acumulada de 6,57%. Desde o início de julho, a desvalorização já chega a 12,48%. O giro financeiro do dia foi de 35,5 bilhões de reais.

Segundo profissionais do mercado, o comportamento do índice ilustrou o horizonte dos investidores para os próximos meses, com correção nas ações de empresas de alto crescimento, mais atingidas pelo ciclo de aperto monetário no Brasil e no mundo, e recuperação em setores de commodities.

Para o analista da Toro Investimentos João Vitor Freitas, além de alta de juro pelo mundo para conter a inflação, afetando a atividade econômica ainda frágil, os negócios no médio prazo ainda devem refletir o temor com crises de energia na China e na Europa, e o fim do programa de compra de títulos nos EUA.

"No caso de Brasil, há ainda ruído em relação ao quadro fiscal", disse Freitas. Economistas têm citado o risco crescente de que o governo Bolsonaro adote medidas populistas à medida que o país se aproxima das eleições presidenciais em 2022.

Nesse contexto, o BTG Pactual citou em nota que o ciclo de alta de juro pode fazer o fluxo de recursos novos para ações no país cair a um nível mais baixo do que se tem visto desde 2016.

O sentimento predominantemente negativo se mostrou nesta sessão, uma vez que dados de desemprego melhores do que o esperado no Brasil referentes a julho foram insuficientes para sustentar o índice no azul. Ações ligadas a consumo e ao setor imobiliário estiveram entre os destaques de baixa

DESTAQUES

- PETRORIO deu um salto de 9,5%. A companhia disputa em consórcio a compra do campo de Albacora, colocado à venda pela PETROBRAS, que caiu 0,58%. O Credit Suisse disse em nota que a vitória da PetroRio na disputa seria transformacional para a companhia.

- VALE subiu 0,58%, no encalço da alta da cotação do minério de ferro na China à máxima de três semanas. No setor de metais, USIMINAS ganhou 2,7%, enquanto CSN e GERDAU tiveram elevação de 3,05% e 3,95%, respectivamente.

-LOCAWEB ganhou 4,9%, sublinhando recuperação de algumas ações em empresas de tecnologia e de comércio eletrônico que vinham sendo severamente castigadas. MAGAZINE LUIZA subiu 2,9% e TOTVS teve avanço de 1,75%.

- Na ponta contrária, BANCO INTER UNIT seguiu a derrocada das últimas semanas e caiu mais 7,3%, com investidores se desfazendo de papéis de empresas baseadas em alto crescimento e que devem ser mais afetadas pelo ciclo de alta dos juros. MÉLIUZ tombou 3,8%.

- CVC perdeu 3,9%, com o investidor também vendendo ações ligadas a turismo e aviação, após uma breve recuperação. EMBRAER declinou 1,9%, AZUL teve baixa de 1,7% e GOL retrocedeu 0,9%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos