Mercado abrirá em 2 h 53 min
  • BOVESPA

    111.399,91
    +2.506,91 (+2,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.895,63
    +1.116,73 (+2,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,61
    +0,06 (+0,13%)
     
  • OURO

    1.827,70
    +8,80 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    19.170,40
    +191,14 (+1,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    375,49
    -4,37 (-1,15%)
     
  • S&P500

    3.662,45
    +40,82 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    29.823,92
    +185,32 (+0,63%)
     
  • FTSE

    6.387,59
    +2,86 (+0,04%)
     
  • HANG SENG

    26.532,58
    -35,10 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.800,98
    +13,44 (+0,05%)
     
  • NASDAQ

    12.444,00
    -8,25 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2972
    -0,0098 (-0,16%)
     

Ibovespa sobe mais de 4% com eleição de Biden e anúncio da Pfizer sobre vacina

Por Paula Arend Laier
·2 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A semana começou com fortes ganhos na bolsa paulista, embalada pelo apetite a risco global nesta segunda-feira, com o clima já positivo em razão da vitória de Joe Biden na corrida presidencial nos EUA se amplificando após anúncio da Pfizer de que sua vacina experimental contra a Covid-19 é 90% eficaz.

Às 10:22, o Ibovespa subia 4,04%, a 105.001,94 pontos, renovando máximas intradia desde julho.

Biden venceu a eleição para a presidência dos Estados Unidos no sábado, após uma dura campanha eleitoral e prometeu que trabalhará para unificar um país profundamente dividido, mesmo com Donald Trump se recusando a aceitar a derrota. [nL1N2HU02E]

A combinação da vitória do democrata com um Senado de maioria republicana agradou agentes financeiros, uma vez que reduz a chance de mudanças expressivas de políticas econômicas nos EUA, principalmente em relação à tributação de grandes empresas norte-americanas, e notadamente o setor de tecnologia.

"Com isso, a incerteza em torno da eleição se dissipou e os investidores recuperaram o apetite pelo risco", afirma o analista de mercados Milan Cutkovic, da Axi.

Com um desfecho da eleição presidencial nos EUA, ele avalia que a pandemia de coronavírus voltará ao foco das atenções, mas destaca que os 'lockdowns' em curso não impediram a recuperação, pois investidores continuam a contar com os BCs e governos para apoiar a economia com medida de estímulos.

Nesse sentido, o anúncio da Pfizer de que a vacina contra a Covid-19 que está desenvolvendo com a BioNTech mostrou ser 90% eficaz na prevenção da doença, segundo dados iniciais, animava os mercados. As duas empresas esperam pedir autorização para uso emergencial da vacina nos EUA neste mês.[nL1N2HV0U7]

Nos EUA, o futuro do S&P 500 avançava 3,67%.

No Brasil, a temporada de resultados nesta segunda-feira traz os balanços de Magazine Luiza, BRF e Yduqs, entre outros, após o fechamento do mercado.

Mais cedo, pesquisa Focus do Banco Central apurou aumento nas expectativas de inflação de 3,02% para 3,2% em 2020 e de 3,11% para 3,17% em 2021. Em paralelo, o Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, passou a ver Selic a 2,25% no ano que vem, de 2% antes.[nL1N2HV0SP]