Mercado fechado

Ibovespa sobe mais de 2% e bate 118 mil pontos em 1º pregão de 2020

Ana Carolina Neira

Mercado brasileiro surfou o dia positivo no exterior na esteira do otimismo com acordo iminente entre EUA e China O Ibovespa ultrapassou o patamar dos 118 mil pontos pela primeira vez na história. No fim da sessão regular, o avanço do índice era de 2,53%, aos 118.573 pontos – que também representa a máxima intradiária.

O movimento reflete a busca dos investidores por maior rentabilidade diante da iminência de um acordo comercial na disputa sino-americana e também novas medidas chinesas para impulsionar a atividade no país. Assim, com as bolsas globais também operando em forte alta no mundo, houve espaço para um dia bastante positivo para os ativos de risco.

Dólar encerra primeiro pregão de 2020 em alta, aos R$ 4,02

Juros futuros têm leve queda na primeira sessão de 2020

Bolsas de NY batem recorde com otimismo sobre a China

O fluxo financeiro ganhou impulso nas últimas horas do pregão, chegando aos R$ 14,8 bilhões no fim do dia, acima dos R$ 12,3 bilhões vistos na média diária de 2019.

Na avaliação do gestor Victor Candido, da Journey Capital, a alta desta quinta-feira encontra suporte principalmente nas blue chips e já indica um belo começo de ano para o mercado de renda variável, afinal, a bolsa encontrou espaço para uma alta firme ainda que muitos agentes estejam fora por causa das festas de fim de ano.

"Por enquanto os investidores ainda atuam no embalo das notícias boas que tivemos no fim do ano, além do acordo comercial, mas também dos bons indicadores internos. É preciso ver como o mercado vai se comportar a partir da semana que vem, especialmente com a retomada dos trabalhos em Brasília nas semanas seguintes", pondera.

Entre as maiores altas do dia ficaram Cogna ON (6,74%) e B3 ON (5,78%), que foi o principal destaque deste pregão após anunciar novas políticas de tarifas para a renda variável e mercado de balcão, com o objetivo de simplificar a cobrança e facilitar a vida de pequenos investidores, incluindo pessoas físicas.

As ações ordinárias da B3 também foram o terceiro ativo mais negociado de todo o mercado à vista – com um giro total de R$ 890,7 milhões –, ficando atrás somente de Petrobras PN (1,72%) e Vale ON (1,93%), que também deram um importante suporte ao avanço vista na bolsa nesta quinta-feira.

Assim como elas, outros papéis de relevantes peso e liquidez dentro da carteira também auxiliaram este movimento, como Petrobras ON (2,50%) e os bancos: Bradesco (4,02% a ON e 3,70% a PN), Banco do Brasil ON (1,86%), Itaú Unibanco PN (2,55%) e as units do Santander (2,85%).

No fim da sessão, entre as poucas baixas do índice estavam Yduqs ON (-1,58%) e Grupo Natura ON (-0,88%).