Mercado fechará em 6 h 12 min

Ibovespa sobe mais de 2%; dados econômicos ganham atenção

Marcelle Gutierrez

Índice da Bolsa paulista opera no patamar de 93 mil pontos O Ibovespa dá sequência ao rali visto desde a semana passada e atinge 93 mil pontos, em um cenário de melhora da percepção do risco global com estímulos monetários e fiscais, reabertura das economias e menor preocupação com uma segunda onda de contaminação da covid-19. Dados econômicos melhores do que o esperado no Brasil e exterior corroboram para este cenário mais positivo.

Pouco depois de 15h30, o principal índice da bolsa brasileira operava em alta de 2,28%, aos 93.125 pontos. Na máxima do dia de 93.710 pontos, o avanço foi de 2,92%.

O volume financeiro está elevado, em R$ 23,25 bilhões e com projeção de R$ 35,5 bilhões até o fim do dia. Vale lembrar que a média diária em 2020 tem sido de R$ 19,9 bilhões e, em maio, foi de R$ 20,4 bilhões.

O Ibovespa ganhou tração nas duas últimas semanas de maio, quando fechou nos 81 mil pontos no dia 18, rompeu o nível dos 85 mil no dia 25 e atingiu 87 mil no dia 27. Desde então, até hoje, a alta acumulada é superior a 20%.

Leonardo Morales, gestor de renda variável da Macro Capital, comenta que houve um movimento conjunto de melhora do risco global e rotação entre ativos, ou seja, busca pelos investidores por ativos mais arriscados.

Ao observar o desempenho do principal fundo de índice (ETF) de mercados emergentes negociado em Nova York, o EEM, fica claro que o movimento é generalizado.

No mercado de câmbio, o dólar era negociado abaixo de R$ 5,10.

Regis Filho/Valor

E dados econômicos divulgados hoje corroboram essa visão de que o pior da pandemia passou e que os efeitos econômicos estão sendo menos desanimadores.

No Brasil, a produção industrial caiu 18,8% em abril ante março, segundo o IBGE. O desempenho foi o pior desde 2002, mas melhor do que o esperado, de uma contração acima de 30%.

Nos Estados Unidos, os dados do mercado de trabalho da Automatic Data Processing (ADP) e Moody’s indicam que o setor privado cortou 2,76 milhões de vagas de trabalho em maio, número bem menor que o esperado, de corte de 8,75 milhões.

Na Europa, o índice de atividade PMI do setor de serviços da zona do euro subiu para 30,5 pontos em maio, acima de 12,0 em abril e do consenso, de 28,7 pontos. E na China, o PMI do setor de serviços privado da China avançou para 55,0 em maio, ante 44,4 em abril.

Entre as maiores altas do Ibovespa, destaque para ações que mais recuaram com a crise, como CVC Brasil ON, Gol PN e Azul PN, com elevação de 6,83%, 14,10% e 10,63%, nesta ordem.