Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,30
    +0,15 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.666,20
    -3,80 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    19.564,79
    +569,05 (+3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,52
    +18,74 (+4,37%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.570,17
    +319,29 (+1,85%)
     
  • NIKKEI

    26.343,14
    +169,16 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    11.541,00
    -14,75 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2096
    -0,0230 (-0,44%)
     

Ibovespa sobe e recupera 112 mil pontos com apoio de Vale

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira, em sessão de volume de negócios reduzido por causa do feriado nos Estados Unidos, com Vale entre os principais suportes na esteira do avanço dos preços do minério de ferro na Ásia.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,21%, a 112.203,35 pontos, de acordo com dados preliminares. No melhor momento do dia, chegou a 112.671,39 pontos.

O volume financeiro somou 19,2 bilhões de reais, de uma média diária de 31,19 bilhões de reais em setembro e de 28,97 bilhões de reais em 2022.

"O Ibovespa hoje se descolou do cenário internacional de cautela e subiu, influenciado principalmente pela forte alta da Vale", disse o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos.

Nos EUA, o Dia do Trabalho manteve as bolsas fechadas. Nos pregões europeus, a queda prevaleceu por causa de preocupações com a crise energética, depois que a Rússia parou de fornecer gás ao continente através do gasoduto Nord Stream 1.

Análise gráfica da equipe da Ágora Investimentos sugere que, além dos 112.500 pontos, o Ibovespa precisaria também vencer a linha dos 114.300 pontos para retomar o viés positivo no curto prazo, conforme relatório a clientes.

A partir desta sessão, o Ibovespa passou a ter nova composição, com a entrada das ações de Arezzo, Raízen e São Martinho e saída dos papéis de JHSF, totalizando 92 ativos de 89 empresas.

DESTAQUES

- VALE ON subiu 3,66%, a 65,22 reais, na esteira do avanço dos futuros de minério de ferro nesta segunda-feira. Em Dalian, na China, o contrato mais negociado, para janeiro, encerrou as negociações com alta de 4%. Em Cingapura, o contrato de outubro, mais ativo, aumentou 4,5%. Declarações sobre estímulos para a China também repercutiram.

- REDE D'OR ON valorizou-se 2,85%, a 34,97 reais, tendo de pano de fundo decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso de suspender o piso salarial da enfermagem, aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado no mês passado pelo presidente Jair Bolsonaro.

- PETROBRAS PN cedeu 0,27%, a 33,33 reais, apesar da alta do petróleo no exterior, que beneficiou outros papéis do setor no Ibovespa, como PRIO ON, que fechou em alta de 6,45%, e 3R PETROLEUM ON, que subiu 3,49%. Fontes afirmaram à Reuters que a mudança anunciada nesta segunda-feira pela Petrobras na diretoria de assuntos digitais pode ser apenas a primeira entre algumas que estão sendo estudadas pelo presidente da companhia. A previsão é de que novas indicações possam acontecer nos próximos dias. O Itaú BBA excluiu as ações da estatal de sua 'Lista de Compras' de Brasil.

- GPA ON saltou 9,72%, a 23,70 reais, ainda repercutindo especulações sobre uma potencial mudança no controle, com retorno do empresário Abilio Diniz. Na sexta-feira, quando foram veiculadas notícias sobre o tema, o GPA disse que não tem conhecimento de informações acerca de decisão de venda da companhia pelo controlador, Casino, e nem da possibilidade de uma oferta de um terceiro pela companhia.

- IRB BRASIL ON caiu 1,64%, a 1,20 real, ainda refletindo ajustes de posições após a resseguradora precificar na semana passada uma oferta de ações a 1 real por papel. No pior momento do pregão, chegou a 1,10 real. Analistas do JPMorgan elevaram a recomendação para a ação de 'underweight' para 'neutra', citando a forte queda recente. O Citi reiterou 'venda' e reduziu o preço-alvo de 1,6 para 1,1 real.

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou com acréscimo de 1,62%, a 26,98 reais, corroborando a alta do Ibovespa. BRADESCO PN encerrou com variação positiva de 0,21%, enquanto BANCO DO BRASIL ON perdeu 2,12%. SANTANDER BRASIL UNIT subiu 1,22%.

(Por Paula Arend Laier; edição de André Romani)