Mercado fechará em 5 h 30 min
  • BOVESPA

    119.791,95
    -270,04 (-0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.781,60
    -86,02 (-0,18%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,17
    -0,18 (-0,29%)
     
  • OURO

    1.785,10
    -8,00 (-0,45%)
     
  • BTC-USD

    54.614,90
    -860,54 (-1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.275,95
    +32,90 (+2,65%)
     
  • S&P500

    4.166,29
    -7,13 (-0,17%)
     
  • DOW JONES

    33.980,29
    -157,02 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.918,24
    +22,95 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.890,25
    -29,00 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6006
    -0,1014 (-1,51%)
     

Ibovespa sobe com Treasuries e cena corporativa no radar

Paula Arend Laier
·2 minuto de leitura
Bolsa de valores de São Paulo

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa ensaiava uma melhora nesta sexta-feira, após forte piora no final do pregão da véspera, com o noticiário corporativo doméstico incluindo renúncia do presidente do Banco do Brasil e os resultados de Embraer e Cyrela.

Às 11:17, o Ibovespa subia 0,45%, a 115.349,11 pontos. O volume financeiro somava 6,8 bilhões de reais. Com tal desempenho, o Ibovespa caminha para fechar a semana no azul.

Na quinta-feira, o Ibovespa caiu quase 1,5%, com o petróleo acelerando as perdas no final da sessão para quase 7% e o S&P 500 renovando mínimas do dia, o que reverteu abruptamente a tentativa de melhora na bolsa paulista.

Investidores continuam monitorando o comportamento dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, que subiram para máximas em mais de um ano na véspera, afetando negativamente as bolsas.

Mesmo após o Federal Reserve sinalizar nesta semana que não pretentede elevar os juros nos EUA tão cedo, o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa, disse que há receios de que um crescimento forte daquela economia acelere a inflação.

No Brasil, Rosa destacou que, com a pandemia de coronavírus atingindo níveis alarmantes, os investidores se retraem diante de um ambiente político cada vez mais conturbado, comprometendo os fundamentos econômicos.

DESTAQUES

- EMBRAER ON caía 3,4% após subir 2,5% no começo da sessão. A fabricante de aviões reduziu o prejuízo no quarto trimestre, mas não deixou claro se vê opior para trás, preferindo não divulgar projeções financeiras e operacionais, citando perspectivas ainda incertas.

- BANCO DO BRASIL ON perdia 0,4%, um dia após a renúncia de André Brandão ao cargo de presidente do banco estatal, para o qual governo federal indicou Fausto Ribeiro. O setor como um todo se afastava das máximas de mais cedo, com ITAÚ UNIBANCO PN em queda de 0,1% e BRADESCO PN ao redor da estabilidade.

- YDUQS ON subia 2,6%, em sessão de ajustes após perder cerca de 5% na véspera, na esteira de resultado trimestral fraco, com prejuízo de 102,6 milhões de reais.

- CYRELA ON avançava 0,7%, após reportar lucro líquido de 261 milhões de reais no quarto trimestre, um salto de 75% ano a ano, resultado de crescimento das vendas e de efeitos ligados à venda de participação em companhias que estrearam na bolsa paulista no ano passado.

- VALE ON caía 2%, com o setor de mineração e siderurgia como um todo no vermelho, alinhado com o declínio dos futuros de minério de ferro na China, já que os traders se preocupavam com as perspectivas de novos cortes de produção na importante cidade siderúrgica de Tangshan.

- PETROBRAS PN subia 1,25%, após declínio forte na véspera, mesmo com a fraqueza dos preços do petróleo no exterior novamente nesta sessão. PETROBRAS ON avançava 0,65%.

- GPA ON valorizava-se 3,9%, conforme agentes financeiros continuam ajustando posições após a cisão da unidade Assaí Atacadista.