Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.526,20
    -8,63 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Ibovespa sobe com ajuda de Vale, mas desconforto fiscal persiste

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa subia nesta sexta-feira, em meio a uma nova enxurrada de resultados corporativos e encontrando um relevante suporte nas ações da Vale, embora persista o desconforto de investidores com sinalizações fiscais recentes do presidente-eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

Às 11:28, o Ibovespa subia 0,43%, a 110.247,59 pontos, mas ainda acumulando um declínio de 6,69% na semana. O volume financeiro na sessão somava 10,9 bilhões de reais.

Na quinta-feira, o Ibovespa fechou com a maior queda percentual diária desde novembro de 2021, refletindo preocupações com o cenário fiscal brasileiro, em particular após declarações de Lula como a de que há gastos públicos que têm que ser considerados como investimentos.

"Parece ter sido o primeiro dia em que o mercado 'capitulou' com as falas poucos sensatas economicamente do presidente eleito", afirmou Dan Kawa, diretor de investimentos da TAG Investimentos. Ele acrescentou que permanece um viés negativo, "até que a equação fiscal ganhe alguma âncora e longo prazo".

Kawa afirmou que "'o mercado', que não é uma entidade maligna e não luta contra a democracia, mas é fundamental para o bom funcionamento da economia e demandará sinais de que o novo governo preza pelo ajuste das contas públicas antes de apresentar uma estabilização mais permanente".

No exterior, Wall Street sinalizava manter o tom positivo, após altas expressivas na véspera, endossando o "respiro" no pregão brasileiro, em meio a expectativas de que o Federal Reserve amenize o ritmo do aperto monetário em curso nos Estados Unidos.

DESTAQUES

- VALE ON avançava 3,96%, a 77,5 reais, após nova alta dos preços do minério de ferro na China, onde o contrato futuro mais negociado na bolsa de Dalian encerrou as negociações diurnas com alta de 5%. A China tem aliviado regras de isolamento social relacionadas à Covid-19. No setor de mineração e siderurgia, CSN ON saltava 5,98%.

- YDUQS ON subia 7,45%, a 12,69 reais, após quatro quedas seguidas, período em que acumulou uma perda de quase 28%. A empresa divulgou na noite da véspera resultado operacional de terceiro trimestre dentro do esperado. COGNA ON, que também reportou seus números na quinta-feira, tinha variação negativa de 2,65%. A ação vem de uma sequência de seis quedas, em que totalizou uma perda de cerca de 20%.

- JBS ON valorizava-se 4,19%, a 25,88 reais, também ajudando o Ibovespa, mesmo com a queda de 47% no lucro líquido do terceiro trimestre, afetado principalmente pelas perações de carne bovina na América do Norte. No setor, MARFRIG ON recuava 0,55, a 10,77 reais, tendo como pano de fundo um recuo de 74% no lucro, também prejudicado pela perfomance dos negócios na América do Norte.

- ITAÚ UNIBANCO PN recuava 2,28%, a 26,99 reais, mesmo após crescimento de 19% no seu lucro líquido recorrente de julho a setembro. O maior banco da América Latina afirmou que prevê alta da inadimplência no varejo no quarto trimestre.

- B3 ON cedia 3,08%, a 12,9 reais, afastando-se das mínimas, quando caiu mais de 7%, após o balanço do terceiro trimestre, com queda de quase 11% no lucro líquido recorrente. Analistas do Credit Suisse cortaram a recomendação dos papéis para "neutra" atribuindo a decisão a uma questão de "valuation", mas também perspectivas mais incertas.

- LOCAWEB ON perdia 7,37%, a 8,3 reais, um dia após reportar aumento no prejuízo do terceiro trimestre. Em termos ajustados, a companhia de serviços de tecnologia registou lucro líquido de 33,4 milhões de reais, alta de 30,8% ano a ano.

- IRB BRASIL ON caía 5,81%, a 0,81 real, renovando mínimas históricas, conforme dobrou o prejuízo no terceiro trimestre, a 298,7 milhões de reais, diante de sinistralidade maior do que a esperada pela empresa devido a efeitos climáticos no segmento rural.

-RAÍZEN PN recuava 4,62%, a 3,92 reais, após tombo no lucro líquido ajustado para 1,1 milhão de reais no segundo trimestre do ano-safra 2022/2023 ante 1,1 bilhão de reais no mesmo período do ano anterior.

- PETROBRAS PN cedia 1,23%, a 25,8 reais, a despeiro da alta do petróleo Brent, uma vez que permanecem os receios relacionados à estratégia da petrolífera de controle estatal a partir de 2023, com o retorno de Lula ao Palácio do Planalto.