Mercado abrirá em 4 h 31 min
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,55
    +0,64 (+0,90%)
     
  • OURO

    1.858,90
    -20,70 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    39.535,20
    +4.196,60 (+11,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    984,99
    +43,18 (+4,58%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.159,32
    +25,26 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.018,00
    +23,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1908
    -0,0018 (-0,03%)
     

Ibovespa sobe com ajuda de Petrobras e volta a se aproximar dos 125 mil pontos

·2 minuto de leitura
Bolsa de valores de São Paulo

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa avançava nesta sexta-feira, após alguma hesitação mais cedo, aproximando-se de suas máximas históricas e caminhando para mais uma semana positiva, apoiado nesta sessão nas ações da Petrobras e em Wall Street.

Às 11:20, o Ibovespa subia 0,13%, a 124.528,84 pontos. Mais cedo, chegou a cair a 124.284,00 pontos. Na máxima, bateu 124.840,70 pontos. O volume financeiro nesta sexta-feira somava 7,8 bilhões de reais.

Nos Estados Unidos, o S&P 500 subia 0,2%, apesar de dados de inflação acima do esperado, com as atenções voltadas também para aguardado anúncio do presidente Joe Biden sobre orçamento de 6 trilhões de dólares.

"O Ibovespa deve seguir o bom humor de seus pares no exterior e testar os 125 mil pontos", afirmaram os analistas da Mirae Asset Fernando Bresciani e Pedro Galdi.

No Brasil, notícias negativas sobre a situação hídrica também ocupavam as atenções, com algumas reportagens citando a possibilidade de o governo criar um comitê para lidar com risco de falta de energia elétrica ou água para consumidores.

Para o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, contudo, a bolsa paulista deve ter uma sessão alta, ajudado por fatores externos e outros fatores domésticos, "com a preocupação com a situação hídrica devendo ser deixada de lado no momento".

DESTAQUES

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON avançavam 3,3% e 4%, respectivamente, em meio ao avanço dos preços do petróleo no exterior, além de melhora de recomendação pelo JPMorgan. Analistas do banco elevaram a os papéis da companhia para 'overweight', estabelecendo preço-alvo das ações a 35,5 reais para o final de 2021.

- VALE ON perdia 0,7%, mesmo com a alta do minério de ferro na China, que, porém, terminou a semana em queda com preocupações com o controle das cotações. Todas as ações de mineração e siderurgia do Ibovespa recuavam.

- ITAÚ UNIBANCO PN subia 1%, corroborando o sinal positivo do Ibovespa, enquanto BRADESCO PN desvalorizava-se 0,3%.

- CVC BRASIL ON valorizava-se 2,8%, retomando, após alguns ajustes no mês, a trajetória de recuperação, que já assegura uma alta de 21% em 2021. No setor de viagens, contudo, AZUL PN cedia 4,2% e GOL PN recuava 1,7%.

- EMBRAER ON perdia 2,7%, após renovar mais cedo máxima intradia desde fevereiro de 2020, a 18,03 reais. Em 2021, a ação da fabricante de aviões já acumula elevação de quase 96%.

- BRF ON recuava 2,4%, em semana de ajustes, após disparar quase 29% na semana anterior, que fechou com anúncio da processadora de carnes Marfrig de que comprou cerca de 24% no capital da empresa de alimentos.