Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,82
    -0,54 (-1,03%)
     
  • OURO

    1.821,10
    -8,80 (-0,48%)
     
  • BTC-USD

    35.872,12
    -62,04 (-0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    699,08
    -36,06 (-4,91%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.454,59
    -119,27 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.257,00
    -262,18 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3929
    +0,0003 (+0,00%)
     

Ibovespa sobe 0,7% em sessão volátil e de baixo volume

Peter Frontini
·2 minuto de leitura
.

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O índice de referência da Bovespa avançou nesta terça-feira, em dia de volume de negócios reduzido, enquanto os mercados globais tiveram um dia volátil em meio a temores com o recrusdescimento da pandemia de Covid-19.

O Ibovespa subiu 0,7%, a 116.636 pontos, recuperando-se parcialmente do tombo de 1,86% registrado na véspera. O giro financeiro somou 22,7% bilhões de reais, bem abaixo da média de dezembro de 38,84 bilhões.

Após abalar mercados na segunda-feira, notícias sobre uma nova variante do coronavírus no Reino Unido seguiu como motivo de cautela. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que ainda não há informação suficiente para determinar se a nova variante afetará a eficácia das vacinas.

O Ibovespa chegou a operar no vermelho após o anúncio de proibição de funcionamento de comércio não essencial entre 25 e 27 de dezembro e entre 1 e 3 de janeiro no Estado de São Paulo para conter o avanço do vírus.

Para Matheus Jaconeli, economista da Nova Futura Investimentos, as medidas terão impacto nas ações de companhias do setor de shoppings, vestuário e algumas empresas de varejo.

"Apesar do governador João Doria se referir a datas comemorativas, a decisão pode ser uma sinalização para que os agentes criem expectativas de que as medidas de distanciamento social permaneçam por mais tempo", afirmou Jaconeli.

No plano nacional, o Ministério da Economia indicou que medidas de enfrentamento à pandemia terão impacto primário de 620,5 bilhões de reais, sendo que 5,1% disso afetarão o resultado primário de 2021.

Enquanto isso, o fluxo estrangeiro na bolsa seguiu mostrando captação líquida. Em dezembro até dia 18, o saldo de capital externo ficou positivo em 14,7 bilhões de reais, de acordo com dados disponibilizados pela B3 nesta terça-feira.

No entanto, em 2020, a saída líquida de estrangeiros do segmento Bovespa ainda é de 36,85 bilhões de reais.

DESTAQUES

- BRADESCO PN avançou 2%. ITAÚ UNIBANCO PN subiu 0,48%, BANCO DO BRASIL valorizou-se 1,32%, enquanto SANTANDER BR UNT ganhou 2,35%.

- Processadoras de carne também tiveram bom desempenho, com MINERVA ON avançando 4,1%, BRF ON fechando em alta de 1,88, enquanto MARFRIG ON e JBS ON avançaram 3,47% e 3,57%, respectivamente.

- BR MALLS perdeu 2,38%, diante das novas medidas de isolamento em São Paulo. No setor, MULTIPLAN teve queda de 2,35%, enquanto IGUATEMI ON caiu 1,56%.

- PETRO RIO ON ganhou 5,44%. A petrolífera fez acordo com a Prisma Capital para converter um financiamento-ponte de 100 milhões de dólares em um financiamento de longo prazo. PETROBRAS PN e PETROBRAS ON avançaram 0,96% e 1,02%, nesta ordem.

- AZUL PN perdeu 3,37%, na esteira de temores causados por nova variante do coronavírus. GOL PN recuou 2,7% e CVC BRASIL ON teve queda de 6,3%.