Mercado fechará em 4 h 29 min
  • BOVESPA

    110.072,79
    -115,78 (-0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,56
    +0,31 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.790,00
    +7,60 (+0,43%)
     
  • BTC-USD

    16.858,93
    -160,76 (-0,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,75
    -6,28 (-1,56%)
     
  • S&P500

    3.933,90
    -7,36 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.551,50
    -44,84 (-0,13%)
     
  • FTSE

    7.521,37
    -0,02 (-0,00%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.512,25
    -53,75 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4885
    +0,0098 (+0,18%)
     

Ibovespa reverte perda e sobe após eleição apesar de Petrobras e BB

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa reverteu a queda e avançava nesta segunda-feira, após Luiz Inácio Lula da Silva vencer a disputa presidencial, sem sinais de ocorrências graves na transição, embora com Petrobras e Banco do Brasil na ponta de baixa.

Às 12:05, o Ibovespa subia 0,85%, a 115.511,53 pontos. Mais cedo, no pior momento, caiu 2,12%, a 112.113,34 pontos, quando Petrobras PN chegou a cair 8%. O volume financeiro no pregão somava 16,4 bilhões de reais.

Lula derrotou o candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno no domingo e voltará à Presidência pela terceira vez, impondo uma inédita derrota nas urnas a um ocupante do Palácio do Planalto que buscava um segundo mandato.

Na visão do Ricardo Campos, diretor de investimentos da Reach Capital, mesmo que o resultado afete ações com peso no Ibovespa, como Petrobras, a relativa tranquilidade no pós-eleição traz uma espécie de alívio.

"Saiu o machado da cabeça. Não houve problema de transição", afirmou, avaliando que, mesmo que Bolsonaro reaja, ele deve ficar sozinho, uma vez que aliados seus já aceitaram a vitória de Lula. O presidente segue em silêncio.

Em entrevista a poucos dias da eleição, a estrategista de ações do J.P. Morgan Emy Shayo, existia uma apreensão dos investidores se o resultado que fosse vencedor nas urnas seria de fato implementado.

Cauê Pinheiro, analista do Safra, avalia que uma contestação do resultado é improvável. "Lula irá governar um país dividido e ele comentou bastante de diálogo com governadores e as casas (Congresso). Será difícil passar pautas muito radicais", avalia.

"O mercado agora espera os nomes serem definidos para os ministério", acrescentou em nota a clientes.

Para a equipe da XP Investimentos, contudo, a volatilidade pode seguir alta e talvez aumentar nas próximas semanas, dada a incerteza quanto à política fiscal do novo governo, bem como quais serão os nomes da nova equipe econômica de Lula.

Campos, da Reach, também chamou a atenção para o potencial fluxo de capital externo, uma vez que muitos investidores estrangeiros estavam na expectativa de um desfecho, esperando para ver se não haveria nenhum episódio mais grave.

"Muitos países também têm uma avaliação favorável sobre a política externa, assim como sua atitude em relação à Amazônia, o que pode significar mais investimentos no país."

O braço de gestão de ativos da Nordea, um dos maiores bancos dos países nórdicos, já disse que pode suspender a proibição de compra de títulos do Brasil anteriormente estabelecida por preocupações ambientais.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN caía 5,19%, a 30,88 reais, e PETROBRAS ON recuava 4,08%, a 34,32 reais, entre os piores desempenhos do Ibovespa, refletindo percepção de aumento de incertezas sobre as estratégias de companhia após Lula sair vitorioso na disputa presidencial. As ações, contudo, distanciavam-se das mínimas, quando as PNs caíram 8%, em uma primeira reação. Apesar da queda os papéis ainda sobem mais de 60% em 2022.

- BANCO DO BRASIL ON perdia 3,35%, a 37,52 reais, ainda entre as maiores quedas, mas se afastando da mínima, quando chegou a 36,52 reais, também afetada por receios sobre as políticas públicas futuras e eventuais reflexos no banco. Entre os privados, ITAÚ UNIBANCO PN avançava 3,22%, a 30,49 reais, e BRADESCO PN tinha elevação de 2,79%, a 19,87 reais, oferecendo um sólido suporte ao Ibovespa.

- CVC BRASIL ON valorizava-se 3,21%, a 6,75 reais, com o setor de consumo como um todo embalado pela perspectiva de políticas voltadas para a melhora da renda no país. Lula prometeu em discurso após sua vitória na véspera reajustar o salário mínimo acima da inflação e promover um programa de renegociação das dívidas das famílias.

- COGNA ON tinha elevação de 4,4%, a 3,32 reais, também apoiada pelas promessas de Lula de fortalecer a educação no país, com YDUQS ON desacelerando o avanço para 0,85%, a 15,43 reais, após ter subido a 16,46 reais mais cedo no pregão, no melhor momento.

- VALE ON mostrava acréscimo de 0,27%, a 67,63 reais, buscando uma recuperação após cair mais de 8% nos dois pregões anteriores, apesar de a semana começar com queda dos preços do minério de ferro na Ásia.

- B3 ON avançava 4,37%, a 14,80 reais, engatando a terceira alta seguida e também respondendo por uma contribuição positiva relevante o Ibovespa.