Mercado abrirá em 1 h
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,45
    -1,20 (-1,42%)
     
  • OURO

    1.791,70
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    59.013,42
    -3.967,82 (-6,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.417,83
    -87,32 (-5,80%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.261,62
    -16,00 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.519,00
    -26,00 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4579
    +0,0038 (+0,06%)
     

Ibovespa renova mínima em seis meses com risco fiscal e declínio de commodities

·3 minuto de leitura
Carregamento de soja em Porto Nacional

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa engatava a quarta queda consecutiva, trabalhando abaixo dos 112 mil pontos, pressionado pelo cenário doméstico ainda complicado, mas também pelo ambiente externo desfavorável, principalmente a queda de commodities.

Às 11:33, o Ibovespa caía 1,89 %, a 111.641,87 pontos, mínima da sessão até o momento e menor patamar intradia desde 25 de março. Com tal performance, caminhava para a terceira perda semanal seguida, com recuo de mais de 2%.

O volume financeiro somava 9,5 bilhões de reais, com a sessão ainda marcada pelo vencimento de opções sobre ações, que costuma ter entre as séries mais líquidas papéis com peso relevante no Ibovespa.

Para a Genial Investimentos, os ativos no Brasil estão reagindo ao risco de desrespeito ao teto dos gastos, em meio à imprevisibilidade do governo, incerteza sobre o desfecho para a questão dos precatórios e qual será o custo do Auxílio Brasil.

"Enquanto a dúvida em relação ao respeito ao teto dos gastos estiver pairando sobre a economia brasileira, os investidores irão continuar a precificar um elevado risco fiscal, o que significa preços dos ativos em queda nos mercados."

As negociações na bolsa paulista ainda têm como pano de fundo piora nas perspectivas de crescimento da economia brasileira, inflação elevada e juros maiores, bem como uma crise hídrica.

Em Wall Street, o sinal negativo também prevalecia, com ações de empresas de tecnologia entre as maiores pressões, além de receios sobre possível aumento na tributação de empresas e cautela antes de decisão do Federal Reserve na próxima semana.

DESTAQUES

- VALE ON caía 3,1%, com o tombo dos futuros do minério de ferro na China ofuscando o anúncio de dividendo de 8,1 reais por ação pela mineradora na véspera. Além disso, o UBS cortou a recomendação da Vale para 'venda' com perspectiva de excedente de minério de ferro no mundo.

- GERDAU PN registrava queda de 4,9%, em mais uma sessão de perdas do setor, tendo de pano de fundo a queda de preços de matérias-primas de siderurgia, com a China avaliando incluir mais cidades sob seus controles ambientais. USIMINAS PNA caía 4,7% e CSN ON mostrava um declínio de 3,7%.

- PETROBRAS PN recuava 3,5%, afetada pela fraqueza dos preços do petróleo no mercado externo, mas também a volta de ruídos envolvendo os preços de combustíveis.

- BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO PN perdiam 1% e 0,9%, respectivamente, também contaminados pelas incertezas no cenário brasileiro. Para o Goldman Sachs, o aumento do IOF decretado pelo governo na véspera não deve afetar significativamente os lucros dos bancos, mas pode ter um pequeno impacto negativo sobre a demanda por serviços financeiros.

- EQUATORIAL ON subia 0,8%, entre as poucas altas do Ibovespa nesta sessão, com os setores elétrico <.IEE) e de serviços de utilidade pública apresentando um desempenho menos negativo. SABESP ON avançava 0,6%.

- LOG-IN ON, que não está no Ibovespa, valorizava-se 8,3%, ampliando os fortes ganhos da quinta-feira. Mais cedo, a empresa disse que o Alaska Investimentos, seu maior acionista, aceitou as condições da oferta, anunciada na véspera, a ser futuramente lançada pela MSC Mediterranean Shipping Company para comprar o controle da empresa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos