Mercado fechará em 4 h 19 min
  • BOVESPA

    109.942,19
    -246,38 (-0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,62
    +0,37 (+0,50%)
     
  • OURO

    1.791,30
    +8,90 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    16.885,22
    -118,02 (-0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    396,53
    -5,51 (-1,37%)
     
  • S&P500

    3.949,19
    +7,93 (+0,20%)
     
  • DOW JONES

    33.633,38
    +37,04 (+0,11%)
     
  • FTSE

    7.525,26
    +3,87 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.528,25
    -37,75 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4983
    +0,0196 (+0,36%)
     

Ibovespa tem forte queda em reação a "sinal ruim" com PEC da Transição

Bolsa de Valores B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista mantinha um viés bastante negativo nesta quinta-feira, reagindo à proposta do governo eleito de tirar do teto de gastos 175 bilhões de reais para o Bolsa Família a partir de 2023, entre outras sugestões presentes na chamada PEC da Transição.

Às 11:55, o Ibovespa caía 2,05%, a 107.982,57 pontos. O volume financeiro somava 10,7 bilhões de reais, em sessão também marcada por ajustes em véspera de vencimento de contratos de opções sobre ações na B3.

O texto apresentado pela equipe de transição a parlamentares na quarta-feira propõe "excepcionalizar" do teto de gastos 175 bilhões de reais para o pagamento do Bolsa Família a partir de 2023 no valor de 600 reais, com adicional de 150 reais por criança, sem um prazo determinado.

O texto inclui ainda uma autorização para que parte de receitas extraordinárias fique fora do teto e possa ser redirecionada para investimentos, em um limite de 23 bilhões de reais, entre outras possibilidades.

"A PEC veio no pior dos prognósticos", afirmou a equipe da Tullet Prebon Brasil. "Apesar de o Congresso provavelmente moldar a PEC, a primeira sinalização foi ruim", acrescentou em relatório a clientes nesta manhã.

Na véspera, o pregão brasileiro já havia refletido preocupações com o texto, divulgado após o fechamento. O Ibovespa encerrou a sessão de quarta-feira em queda de 2,58%.

A equipe do Safra afirmou que é importante ver como o legislativo vai se comportar sobre o tema, inclusive nessa questão de prazo, mas eles não veem hoje o Banco Central mudando discurso e subindo juros em função desses gastos, uma vez que o patamar atual já é muito elevado.

"Nesse sentido, o que poderia trazer sim alguma pressão inflacionista, e com isso uma reação diferente do Banco Central, é um dólar mais forte por um prazo mas longo, mas ainda é cedo para tirar conclusões a respeito", afirmaram em nota a clientes.

Em meio ao estresse com a PEC, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, que está em viagem ao Egito, voltou a criticar nesta quinta-feira a regra do teto de gastos e desdenhou das reações do mercado financeiro a suas falas, endossando o viés negativo no pregão.

O cenário externo corroborava as vendas na bolsa brasileira, com Wall Street no vermelho em meio a sinais divergentes sobre a economia norte-americana e comentários 'hawkish' de autoridade do Federal Reserve, enquanto o petróleo também tinha mais uma sessão negativa.

DESTAQUES

- CYRELA ON caía 10,13%, a 12,77 reais, com o índice do setor imobiliário cedendo 5,7%, dado o efeito negativo na curva futura de juros da perspectiva de mais gastos sem se saber as fontes de financiamento. EZTEC ON recuava 7,82%.

- 3R PETROLEUM ON cedia 8,1%, a 38,03 reais, após divulgar dados preliminares de produção de outubro mostrando queda em relação a setembro. Na visão da Genial Investimentos, a leitura dos números é negativa "por demonstrar uma parada no ímpeto de crescimento da produção nos últimos meses".

- IRB BRASIL ON recuava 6,98%, a 0,8 real, na mínima histórica. A resseguradora informou que Raphael de Carvalho renunciou ao cargo de presidente-executivo, após pouco mais de um ano na posição. O conselho de administração elegeu o conselheiro Marcos Falcão como novo presidente.

- PETROBRAS PN perdia 0,92%, a 26,9 reais, tendo de pano de fundo a queda dos preços do petróleo Brent, enquanto segue também pressionada pelos receios relacionados à troca do governo no país e os possíveis reflexos na estratégia da petrolífera de controle estatal.

- BRADESCO PN subia 0,79%, a 15,33 reais, entre as poucas altas do Ibovespa, encontrando algum apoio em relatório do JPMorgan que elevou a recomendação para os papéis do banco a "overweight". No setor, ITAÚ UNIBANCO PN caía 0,23% e BANCO DO BRASIL ON recuava 3,01%.

- VALE ON caía 0,56%, 81,98 reais, também sofrendo com a aversão a risco na bolsa como um todo, mesmo com o contrato futuro de minério de ferro mais negociado na Dalian Commodity Exchange da China tendo avançado 1,7%, para 740 iuanes (103,85 dólares) a tonelada no final do pregão diurno.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Por Paula Arend Laier, edição Alberto Alerigi Jr. e André Romani)