Mercado fechado

Ibovespa recua 1,1% contaminado por pessimismo global

Por Peter Siqueira
Bolsa de Valores de São Paulo

Por Peter Siqueira

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da B3 recuou nesta quinta-feira, contaminado pelo pessimismo global diante de incertezas ligadas ao embate comercial entre Estados Unidos e China, mas também influenciado por realização de lucros, após ter batido recorde na véspera.

O Ibovespa caiu 1,1%, a 107.219,83 pontos, mas encerrou outubro com avanço acumulado de 2,36%. O volume financeiro na sessão somou 19,4 bilhões de reais.

Investidores globais se decepcionaram com a notícia de que autoridades chinesas mostraram dúvidas sobre se será possível alcançar um acordo comercial abrangente de longo prazo com os Estados Unidos e o presidente Donald Trump.

Em Wall Street, o S&P 500 caiu 0,3%, com o pessimismo ofuscando bons resultados trimestrais de Apple e Facebook.

No Brasil, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a falar sobre a pauta do governo, afirmando que está otimista com a aprovação da reforma tributária no Congresso ainda este ano.

No plano macroeconômico, o mercado absorveu a decisão do BC de reduzir a Selic em 0,5 ponto percentual, a 5% ao ano, como esperado, e indicou que deve repetir a dose na próxima reunião, em meio à fraqueza na economia e baixa inflação.

Analistas do BTG Pactual avaliam que a taxa deve terminar o atual ciclo de queda abaixo de 4%, com mais um corte de 0,50 ponto percentual em dezembro, indicando também duas reduções de 0,25 ponto percentual nas reuniões de fevereiro e março.


DESTAQUES

- BRADESCO PN cedeu 4,1%. O banco divulgou lucro recorrente de 6,54 bilhões de reais no terceiro trimestre, quase em linha com a estimativa de analistas. SANTANDER BRASIL recuou 3%. ITAÚ UNIBANCO PN e BANCO DO BRASIL cederam 1,74% e 2,6%, nesta ordem.


- GOL PN despencou 5,8%, após divulgar prejuízo de 242 milhões de reais no terceiro trimestre, em meio a problemas que atingiram 18 de seus aviões, e queda em projeção de margem de lucro este ano.


- LOJAS AMERICANAS PN perdeu 3,2%, apesar de alta de 54,5% no lucro do terceiro trimestre sobre um ano antes. Sua controlada B2W caiu 4%, após divulgar prejuízo líquido de 102,5 milhões de reais, pior do que as estimativas de analistas.


- MAGAZINE LUIZA ON reverteu a queda de mais cedo e fechou em alta de 1,4%. A varejista anunciou na véspera oferta de cerca de 4 bilhões de reais em novas ações para investir em novas tecnologias e abertura de lojas.


- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiram 1% e 0,2%, neta ordem. A empresa quer concluir a implantação de uma ferramenta tecnológica em suas refinarias até o fim do ano.


- SUZANO ON ganhou 1,05%, com divulgação de balanço trimestral após o encerramento da sessão. No setor, KLABIN UNT também avançou 1%.


- VALE ON perdeu 2,9%. A mineradora informou ter acionado preventivamente o protocolo de emergência em Nível 1 da barragem Forquilha IV, em Ouro Preto (MG).


- GPA PN perdeu 0,1%. A empresa teve lucro consolidado de 192 milhões de reais de julho a setembro, alta de 27,2% no comparativo anual. Em teleconferência, executivos da companhia afirmaram esperar desempenhos melhores de vendas em 2020 após reformas e conversões de lojas.