Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,41
    +0,19 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.817,40
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    16.973,00
    -158,17 (-0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.036,50
    -5,75 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4642
    +0,0677 (+1,25%)
     

Ibovespa recua com preocupação fiscal e fraqueza externa

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava nesta quarta-feira, com Localiza entre as maiores quedas após resultado trimestral, enquanto agentes financeiros continuam atentos a negociações para aumentar o espaço para gastos públicos em 2023.

Às 12:01, o Ibovespa caía 1,44%, a 111.530,40 pontos, em sessão ainda marcada por ajustes após feriado no país na véspera. O volume financeiro somava 8,1 bilhões de reais.

Na segunda-feira, o Ibovespa fechou em alta de 0,81%, a 113.161,28 pontos, mas chegou a superar os 114 mil pontos na máxima do dia, em meio a ajustes e com notícias sinalizando um tom mais conservador quanto à PEC da Transição.

Mas sem novidades de fato sobre a PEC - principalmente o valor que ficará fora da regra do teto de gastos e a duração da PEC - os receios voltaram a prevalecer, com silêncio sobre a equipe econômica do novo governo também adicionando desconforto.

"O mercado seguirá extremamente sensível a este tema", afirmou Dan Kawa, diretor de investimentos da TAG Investimentos, referindo-se à PEC.

No exterior, o clima também não era dos mais favoráveis, com queda de bolsas na Europa e fraqueza em Wall Street, além de recuo dos preços do petróleo. Na contramão, o minério de ferro voltou a fechar em alta na China.

DESTAQUES

- LOCALIZA ON caía 4,74%, a 62,29 reais, após divulgar lucro líquido ajustado abaixo do esperado no mercado. Ainda assim, analistas do Goldman Sachs reiteraram visão otimista sobre a empresa, avaliando que a mesma está "bem posicionada para se beneficiar da recuperação em curso e uma provável retomada do forte crescimento que vem apresentando nos últimos anos, à medida que a oferta de carros novos se normaliza".

- MINERVA ON recuava 4,84%, a 14,17 reais, novamente na ponta de baixa do Ibovespa, com pares também no vermelho. MARFRIG ON perdia 2,85% e JBS ON cedia 3,23%. Na contramão, BRF ON avançava 1,93%.

- AMERICANAS ON caía 6,38%, a 11,74 reais, em sessão de correção em e-commerce, após uma sessão mais positiva na última segunda-feira. MAGAZINE LUIZA ON recuava -4,14% e VIA ON tinha declínio de 3,15%.

- EMBRAER ON avançava 6,42%, a 13,92 reais, buscando uma recuperação após um tombo de mais de 6% no pregão anterior, na sequência da divulgação do balanço do terceiro trimestre.

- VALE ON cedia 0,84%, a 82,61 reais, sucumbindo ao viés mais vendedor na bolsa após subir a 84,77 reais mais cedo, quando acompanhou a alta dos preços do minério de ferro na Ásia. Na China, o contrato futuro mais negociado na bolsa de Dalian encerrou o comércio diurno com alta de 2,2%.

- PETROBRAS PN perdia 0,58%, a 27,54 reais, em meio ao declínio dos preços do petróleo Brent e ainda vulnerável a expectativas sobre o próximo governo.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía 1,09%, a 26,36 reais, e BRADESCO PN cedia 0,73%, a 15,05 reais.