Mercado abrirá em 4 h 7 min
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,20
    -0,32 (-0,37%)
     
  • OURO

    1.722,90
    -7,60 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    20.152,18
    +248,85 (+1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,42
    +10,98 (+2,47%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    7.006,43
    -80,03 (-1,13%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.544,75
    -96,00 (-0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1553
    -0,0126 (-0,24%)
     

Ibovespa recua com exterior negativo e reverte ganhos na semana

B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava nesta sexta-feira, revertendo a alta acumulada na semana, pressionado por realização de lucros e movimentos mais negativos em praças acionárias e commodities como o petróleo e o minério de ferro no exterior.

Às 11:01, o Ibovespa caía 1,56 %, a 112.032,21 pontos, resultando em uma variação negativa de 0,7% na semana. O volume financeiro somava 4,5 bilhões de reais, em sessão também marcada pelo vencimento de opções sobre ações.

Na véspera, o principal índice da bolsa paulista fechou com acréscimo de 0,09%, a 113.812,87 pontos, marcando a quinta alta seguida e acumulando em agosto avanço de 10,3%.

Em Wall Street, o S&P 500 cedia 1,1%, depois que autoridades do Federal Reserve (Fed) disseram que o banco central dos Estados Unidos precisa continuar aumentando os juros de forma a conter a inflação, derrubando ações de crescimento e tecnologia.

Na visão da XP Investimentos, o sentimento de investidores foi um pouco abalado desde o meio da semana, após a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Fed, realizada no final do mês passado.

A ata mostrou que membros do Fed não considerariam recuar nos aumentos dos juros até que a inflação caísse substancialmente, apesar de ligeira desaceleração na inflação que ofereceu alguma esperança de um aperto menos agressivo.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN recuava -1,41%, a 32,95 reais, após renovar máximas históricas durante a semana, com o declínio do petróleo corroborando movimentos de realização de lucros. Na semana, até a véspera, a ação subiu mais de 5%.

- VALE ON caía 1,4%, a 66,77 reais, uma vez que os contratos futuros de minério de ferro caíram nas bolsas de Dalian e Cingapura, com aumento da preocupação sobre a demanda na China à medida que a economia do país vacila.

- ITAÚ UNIBANCO PN recuava 1,7%, a 26,55 reais, e BRADESCO PN perdia 1,36%, a 19,59 reais, também sofrendo com o movimento mais vendedor no pregão como um todo.

- MRV ON perdia 5,77%, a 9,96 reais, mais uma vez entre os destaques negativos, refletindo movimentos de correção após forte valorização no começo de agosto, em trajetória acompanhada por outros papéis sensíveis à economia doméstica.

- FLEURY ON tinha acréscimo de 0,43%, a 16,32 reais. A empresa de medicina diagnóstica e a rival Hermes Pardini disseram na quinta-feira que seus acionistas aprovaram a combinação de negócios.

- YDUQS ON subia 1,67%, a 12,76 reais, experimentando uma trégua após o forte ajuste negativo nos últimos três pregões, em que acumulou um declínio de 21%.

- STONECO desabava 21,1%, a 9,2 dólares, em Nova York, após reportar prejuízo líquido de 489 milhões de reais no segundo trimestre, revertendo lucro de 526 milhões um ano antes. A empresa de pagamentos ainda anunciou a saída de seu diretor financeiro, Marcelo Baldin, sendo que Silvio José Morais, que é conselheiro da companhia, irá substituí-lo interinamente.

(Por Paula Arend Laier; Edição de André Romani)