Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,79
    +1,39 (+1,24%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -6,40 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    30.502,97
    +492,51 (+1,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    677,94
    +435,26 (+179,36%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.659,75
    +112,70 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.568,50
    +8,25 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2111
    +0,0007 (+0,01%)
     

Ibovespa recua com exterior, mercado digere decisões de BCs

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa brasileira cedia nos primeiros negócios nesta quinta-feira, em linha com o movimento dos contratos futuros de ações em Nova York, após disparada na véspera, quando o presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell, descartou uma nova aceleração, por ora, no ritmo da alta do juro nos Estados Unidos.

O mercado reagia à decisão de política monetária do Banco Central brasileiro, divulgada à noite, que elevou a Selic em 1 ponto percentual, como esperado, e indicou alta de menor magnitude na próxima reunião, sem especificar quanto ou se isso representaria o fim do ciclo.

Balanços corporativos movimentam a sessão, incluindo reação aos resultados das siderúrgicas CSN e Gerdau e expectativa pelos números da Petrobras à noite.

Às 10:15 (de Brasília), o Ibovespa caía 1,09%, a 107.167,16 pontos.

(Por Andre Romani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos