Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.312,00
    +739,34 (+1,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Ibovespa recua antes de Fed e Copom

Paula Arend Laier
·3 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa mostrava certa fraqueza nesta terça-feira, com agentes financeiros preferindo posições comedidas antes de decisões de política monetária nesta semana, particularmente nos Estados Unidos e Brasil.

Às 11:03, o Ibovespa caía 0,43%, a 114.351,3 pontos. O volume financeiro somava 4,9 bilhões de reais.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central e o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve começam nesta sessão suas reuniões, mas os respectivos resultado serão conhecidos apenas na quarta-feira.

No caso do Fed, que apresentará projeções econômicas junto com seu comunicado, previsto para 15h (horário de Brasília), há expectativa de que ele estime que a economia dos EUA crescerá em 2021 à taxa mais rápida em décadas.

Ao mesmo tempo, não deve apresentar mudança relevante no tom sobre sua política monetária.

Em relação ao Copom, que divulga a decisão após o fechamento do mercado, a previsão é que eleve a Selic pela primeira vez em quase seis anos, com uma alta de 0,5 ponto percentual sobre os atuais 2% ao ano.

A equipe da Levante também chamou a atenção o revés no noticiário ligado a vacinas contra a Covid-10, com vários países na Europa suspendendo o uso do imunizante do laboratório AstraZeneca, que no Brasil é produzido pela Fiocruz.

"Isso quer dizer um atraso na imunização das populações, com reflexos negativos na retomada da atividade econômica", afirmou em nota a clientes.

Na véspera, Alemanha, Itália e França comunicaram que suspenderão o uso das vacinas contra coronavírus da AstraZeneca. Um painel de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) deve emitir um comunicado sobre a vacina nesta terça.

DESTAQUES

- CSN ON tinha alta de 3,8% após notícia sobre aumento de preço de aço, conforme a própria empresa havia anunciado no final de fevereiro. A rival USIMINAS PNA avançava 4,45% e GERDAU PN valorizava-se 0,2%. Analistas do BTG Pactual reiteraram recomendação de "compra" para Usiminas e Gerdau, elevando os respectivos preços-alvo para 22 e 37 reais, de 17 e 30 reais. VALE ON oscilava ao redor da estabilidade. O BTG também reiterou "compra" e elevou o preço-alvo do ADR da mineradora.

- KLABIN UNIT avançava 2% e SUZANO ON valorizava-se 1,7%. O BTG também reiterou recomendação de compra para os papéis, com o preço-alvo de Klabin passando de 29 para 38 e o de Suzano de 81 para 101 reais. Os analistas do BTG afirmaram que continuam a acreditar que o mundo atravessa em um "superciclo de commodities" que ainda está em seu começo.

- GOL PN perdia 2%, com AZUL PN recuando 1,5%, após figurarem entre as maiores altas do Ibovespa na segunda-feira. No setor de viagens, CVC BRASIL ON perdia 2,2%, com o noticiário sobre a vacina da AstraZeneca no radar. Ainda no segmento, e após desempenho forte desde o mês passado, EMBRAER ON cedia 2,3%.

- PETROBRAS PN perdia 1%, em sessão de queda do petróleo no exterior. Além disso, o Comitê de Pessoas da companhia se reunirá nesta terça-feira para analisar a indicação do general Joaquim Silva e Luna para integrar a petrolífera de controle estatal.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía 1,1%, pesando do lado negativo, enquanto BRADESCO PN recuava 1,4%.