Mercado abrirá em 8 h 29 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,03
    +0,42 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.797,70
    +4,60 (+0,26%)
     
  • BTC-USD

    37.274,61
    +1.078,74 (+2,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    844,52
    +25,01 (+3,05%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.642,39
    -164,61 (-0,69%)
     
  • NIKKEI

    26.720,06
    +549,76 (+2,10%)
     
  • NASDAQ

    14.154,25
    +167,50 (+1,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0295
    +0,0055 (+0,09%)
     

Ibovespa perde fôlego em meio a nova fala de Powell e atento à PEC dos Precatórios

·2 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice de ações brasileiras reduzia a alta nesta quarta-feira, em meio a mais declarações do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, reiterando a defesa para retirada de estímulos pelo banco central norte-americano.

Localmente, a análise da PEC dos Precatórios no Congresso seguia no radar do mercado.

Às 14:42, o Ibovespa subia 0,74%, a 102.671,27 pontos. Na máxima da sessão, o índice alcançou 104.086,68. O volume financeiro era de 17,2 bilhões de reais.

Powell disse que é apropriado o Fed considerar na próxima reunião acelerar a redução de estímulos. Ele também afirmou que, com os aumentos de preços persistindo por mais tempo e a uma taxa mais alta do que o esperado, o Fed precisa estar pronto para usar suas ferramentas a fim de lidar com a gama de "resultados plausíveis" para a inflação.

O Ibovespa diminuiu parte da alta em meio às declarações de Powell, em movimento similar ao das bolsas norte-americanas, em especial o Nasdaq.

Powell já havia indicado na véspera que o Fed deve acelerar a retirada de estímulos. Na ocasião, sua declaração de que era apropriado considerar uma redução da compra de títulos mais rapidamente derrubou os mercados acionários globais, junto com o receio da nova variante do coronavírus Ômicron, e quase fez o Ibovespa romper a barreira dos 100 mil pontos no intradiário.

O Fed deu início à redução do ritmo de compra de títulos no início de novembro e anunciou um cronograma de cortes que prevê sua conclusão em meados de 2022. Porém, é amplamente esperado que a autoridade monetária revisite esse cronograma na próxima reunião. A retirada de estímulos deve diminuir a liquidez dos mercados globais, tornando ativos de risco menos atrativos.

Antes disso, o Ibovespa tinha uma recuperação mais vigorosa, após o tombo da véspera.

No front doméstico, investidores aguardam a análise da PEC dos Precatórios no plenário do Senado. O texto abre espaço para financiamento do programa social do governo, o Auxílio Brasil.

Vale e Petrobras são as maiores contribuições para a alta do Ibovespa, enquanto a JBS está na ponta oposta, em sessão negativa para frigoríficos. Varejistas tem sessão de perdas.

(Por Andre Romani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos