Mercado abrirá em 5 h 31 min

Ibovespa perde fôlego e recua com Petrobras entre maiores quedas; Qualicorp dispara

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa engatava nova queda nesta terça-feira, após esboçar uma tentativa de melhora a abertura, conforme agentes financeiros continuam ressabiados com as sinalizações do novo governo, em sessão também marcada pelo retorno de Wall Street.

Às 11:05, o Ibovespa caía 0,76%, a 105.565,03 pontos. Mais cedo, chegou a subir a 106.683,69 pontos. O volume financeiro somava 3,8 bilhões de reais.

Na véspera, o Ibovespa fechou em baixa de 3%, refletindo em uma recepção desconfiada à chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tomou posse no domingo, principalmente o tom mais intervencionista e estatizante do novo governo.

Para Dan H. Kawa, diretor de investimentos na TAG, o fluxo de notícias para o Brasil segue bastante negativo, com medidas adotadas no passado e que, comprovadamente, levaram a um país menos eficiente, sendo ventiladas novamente.

Entre os eventos dos últimos dias que ele avaliou com viés negativo estão a extensão dos subsídios a combustíveis, nomeação de funcionários ligados ao PT para a presidência do BB e da Caixa e discurso duro do presidente contra o teto de gastos.

Ainda pesando no humor do dia, ele elencou discursos falando em mudança do marco das Ferrovias, além de alterações nas regras para o Saneamento, bem como retirada do COAF do Banco Central independente para o Ministério da Fazenda.

Ele ponderou muita coisa negativa já foi descontada nos ativos locais, mas que não há gatilho específico para uma recuperação mais estrutural, embora acredite em ralis de alívio uma vez que vê preços baratos e a posição técnica saudável.

No exterior, Wall Street sinalizava uma abertura na volta do fim de semana prolongado, com os futuros em alta no primeiro pregão de 2023, em semana com uma série de dados econômicos, incluindo a ata da última reunião do Federal Reserve.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN recuava 2,01%, a 22,46 reais, em mais uma sessão de baixa diante das preocupações com a estratégia da petrolífera estatal, principalmente após o ministro de Minas e Energia afirmar que a companhia terá um papel central na expansão da capacidade de refino de petróleo do Brasil. Para o Bradesco BBI, a mensagem geral parece ser a de que a Petrobras aumentará seus investimentos e reduzirá os dividendos gradualmente ao longo do tempo. "Um ponto-chave a ser observado no curto prazo é quanto a política de payout pode ser reduzida no curto prazo", afirmou.

- BTG PACTUAL UNIT caía 3,28%, a 21,84 reais, no pior desempenho entre os papéis de bancos listados no Ibovespa, com ITAÚ UNIBANCO PN em baixa de 1,43% e BRADESCO PN em queda de 2,67%. BANCO DO BRASIL ON mostrava declínio de 1,83% e SANTANDER BRASIL UNIT cedia 0,83%.

- BRF ON perdia 4,02%, a 7,64 reais, no segundo pregão seguido de baixa, após alguma recuperação no final do ano, sendo que apenas na última semana de 2022 acumulou elevação de cerca de 10%. Na noite do dia 28 de dezembro, a companhia de alimentos anunciou acordo de leniência relacionado às operações Carne Fraca e Trapaça da Polícia Federal.

- QUALICORP ON disparava 14,49%, a 6,32 reais, encontrando suporte na notícia sobre a troca de comando da companhia, enquanto a Rede D'Or anunciou que vai transferir a gestão da maior parte de sua participação na Qualicorp à gestora independente Prisma Capital por seis anos. Após a renúncia de Bruno Blatt ao cargo de diretor presidente, o conselho de administração elegeu Elton Hugo Carluci, atual diretor comercial, de inovação e novos negócios, para seu lugar. REDE D'OR ON cedia 0,78%.

- VALE ON tinha acréscimo de 0,25%, 89,62 a reais, apesar da queda dos futuros do minério de ferro na China, com papéis de siderúrgicas também na coluna positiva do Ibovespa. GERDAU PN subia 2,27%, USIMINAS PNA valorizava-se 0,57% e CSN ON avançava 0,61%.