Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    47.563,71
    +1.692,75 (+3,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7577
    +0,0188 (+0,28%)
     

Ibovespa oscila em torno da estabilidade; ações de commodities lideram ganhos

Aluisio Alves
·1 minuto de leitura
Operadores em corretora de valores em São Paulo

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista oscilava em torno da estabilidade nos primeiros negócios desta quinta-feira, uma vez que ações de empresas de commodities estendiam a valorização da véspera, contrabalançando a influência negativa de Wall Street.

Às 10:43, o Ibovespa mostrava desvalorização de 0,13%, aos 120.514 pontos, após já ter fechado na véspera no pico em quatro semanas.

Ações de blue chips domésticas, incluindo Petrobras e Vale, conduziam o índice, refletindo a alta nas cotações de produtos como petróleo e minério de ferro no mercado internacional.

Esse movimento vem após feriados prolongados em mercados ao redor do mundo, o que na semana passada havia colocado os investidores em posições mais conservadoras. As bolsas de Wall Street ficaram fechadas na segunda-feira, enquanto a Bovespa voltou na véspera e os mercados da China retomam nesta quinta.

Segundo profissionais do mercado, investidores também voltam a ampliar posições em ativos de risco após o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, ter sinalizado na ata da última reunião, divulgada na véspera, que deve manter estímulos monetários e liquidez elevada por período prolongado.

Por outro lado, a influência das bolsas de Nova York e da Europa era negativa, com investidores na defensiva enquanto aguardam mais informações sobre novos estímulos econômicos.