Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,46 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,59 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,94
    -0,63 (-1,59%)
     
  • OURO

    1.907,80
    -4,10 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    13.729,31
    +41,24 (+0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    271,73
    +10,44 (+3,99%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,21 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,61 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.389,32
    -104,98 (-0,45%)
     
  • NASDAQ

    11.531,50
    -56,50 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6795
    +0,0390 (+0,59%)
     

Ibovespa opera com volatilidade com preocupações com fiscal no radar

Por Peter Frontini
·2 minutos de leitura
.
.

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa operava com volatilidade nesta quarta-feira, influenciado por questões relativas ao quadro fiscal do país, que segue preocupando investidores.

Às 12:01, o índice tinha alta de 0,15%, a 95.760,67 pontos. Mais cedo chegou a recuar quase 1%. O volume financeiro era de 8,8 bilhões de reais.

A preocupante perspectiva fiscal do Brasil pesou mais que a recuperação dos índices de Wall Street e pressionava o Ibovespa.

O impasse sobre o financiamento do programa de transferência de renda do governo Jair Bolsonaro ganhou novo capítulo na terça-feira.

Apesar de o relator da proposta de criação do programa, senador Márcio Bittar (MDB-AC), ter dito que apresenta um texto na próxima semana, a versão final do programa que vai substituir o Bolsa Família pode ficar somente para depois das eleições municipais, ampliando as incertezas sobre a iniciativa.

Agentes financeiros também reagiam à reportagem da revista Veja afirmando que o governo pode tentar estender o auxílio emergencial, pago durante a pandemia de coronavírus, para até junho de 2021.

Para a Verde Asset Management, a discussão "deve considerar que o país simplesmente não tem espaço fiscal para acomodar mais gastos".

"Não é por capricho, portanto, que as reações dos preços de ativos, câmbio, juros e bolsa, são extremamente fortes quando o governo dá mostras de querer abandonar a única âncora que segura toda a sustentabilidade da dívida, que é o Teto de Gastos."

Nos EUA, após a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de suspender negociações com o Congresso sobre um pacote de estímulos derrubar mercados na véspera, índices acionários se afastavam do choque e se recuperavam nesta quarta-feira.

Trump anunciou sua decisão de interromper as negociações até as eleições em 3 de novembro, assustando Wall Street e também impactando a bolsa brasileira, que fechou em queda de cerca de 0,5%.

DESTAQUES

- GERDAU PN avançava 4,4%, chegando a tocar máxima histórica, após o Bradesco BBI elevar a recomendação da companhia para "outperform", também revisando o preço-alvo para 26 reais, contra 17 reais anteriormente. USIMINAS PNA subia 3,8%, CSN ON tinha alta de 2,7%, enquanto VALE ON valorizava-se 1,9%.

- AZUL PN caía 3,2%. A empresa anunciou na véspera que teve aumento de caixa de cerca 700 mil reais por dia no terceiro trimestre. GOL PN caía 2,9%.

- IRB BRASIL ON desabava 8,65%, mesmo após já ter mergulhado mais de 17% na terça-feira, na esteira de relatório do UBS BB recomendando "venda", com preço-alvo de 4,60 reais.

- SEQUOIA LOGÍSTICA ON perdia 2,8% em sua estreia na B3, após precificar IPO a 12,40 reais na segunda-feira, movimentando cerca de 1 bilhão de reais.