Mercado fechado

Ibovespa mostra indefinição em meio a balanços antes de Copom; Vale pesa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
B3
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa não firmava tendência única nesta quarta-feira, em meio a uma bateria de balanços corporativos, com Cielo entre os maiores ganhos após mais do que triplicar o lucro no segundo trimestre, enquanto Vale pressionava negativamente.

Às 11:18, o Ibovespa caía 0,33%, a 103.019,1 pontos, na mínima da sessão até o momento, após subir a 103.659,16 pontos na máxima. O volume financeiro somava 4,25 bilhões de reais.

O pregão brasileiro tinha de pano de fundo um viés relativamente positivo em Wall Street, com o S&P 500 em alta de 1%, tendo dados da atividade de serviços dos EUA no radar, além melhora na previsão de lucros do PayPal.

Investidores da bolsa paulista também estão na expectativa da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, com a maioria das previsões apontando aumento de 0,50 ponto percentual na Selic, atualmente em 13,25%.

"Os mercados devem monitorar o comunicado da decisão e eventuais pistas sobre os próximos passos da condução de política monetária", afirmou a equipe de economia do Bradesco, que espera que a Selic seja elevada para 13,75%.

DESTAQUES

- CIELO ON subia 5,2%, a 4,65 reais, após superar previsões com lucro de 635,3 milhões de reais no segundo trimestre, salto de 252,2% sobre um ano antes. A empresa de meios de pagamentos também anunciou troca no comando, novo ciclo com foco em transformação digital e JCP. Na máxima, os papéis dispararam 8,8%.

- VALE ON cedia 1,5%, a 69,20 reais, em ajuste após forte valorização na véspera, tendo de pano de fundo queda dos contratos futuros de minério de ferro nas bolsas de Dalian e Cingapura nesta quarta-feira, com a crise envolvendo incorporadoras na China, maior produtora de aço do mundo, superando a melhora das margens nas usinas.

- GERDAU PN recuava 3%, a 23,66 reais, após resultado trimestral dentro do esperado, com lucro de 4,3 bilhões de reais, impulsionado pelo crescimento sequencial das vendas no mercado interno e um forte desempenho na América do Norte, onde afirmou estar operando a plena capacidade. A siderúrgica também anunciou dividendos.

- ENGIE BRASIL ON perdia 2,2%, a 43,16 reais, apesar de alta de 23,8% no lucro líquido do segundo trimestre, para 395 milhões de reais, em resultado beneficiado por maiores preços e volumes de energia vendida. A elétrica também disse que negocia parcerias para plantas de hidrogênio verde no Ceará, Bahia e Paraná.

- IGUATEMI UNIT subia 0,7%, a 20,08 reais, após forte resultado operacional no segundo trimestre, embora dentro das previsões do mercado. O Ebitda foi de 166,7 milhões de reais, alta de 61% ano a ano, com a margem Ebitda passando de 60,7% para 65,7%. A companhia espera manutenção do ritmo de vendas nos próximos meses.

- MAGAZINE LUIZA ON valorizava-se 1,85%, 2,76 reais, em sessão positiva para o varejo como um todo, com VIA ON em alta de 3% e AMERICANAS ON subindo 0,9%.

- PETROBRAS PN subia 0,4%, a 33,97 reais, com os preços do petróleo Brent, referência da estatal, rondando a estabilidade, a 100,57 dólares o barril.

- ITÁU UNIBANCO PN avançava 0,3%, a 23,80 reais, enquanto BRADESCO PN mostrava declínio de 0,2%, a 17,63 reais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos