Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.059,64
    -187,66 (-0,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Ibovespa mostra fraqueza com risco fiscal na pauta e perdas em NY

B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista tinha mais uma sessão negativa nesta quarta-feira, enfraquecida ainda por receios com os efeitos fiscais por causa da proposta do governo brasileiro para controlar os preços de combustíveis e viés de baixa em Wall Street.

Às 11:16, o Ibovespa caía 0,57%, a 109.437,53 pontos. O volume financeiro somava 4 bilhões de reais.

As discussões sobre a desoneração de combustíveis continuam no foco de atenções, uma vez que, apesar de um esperado alívio na inflação, devem provocar um aumento importante nos gastos federais, o que aumenta o risco fiscal do país.

A votação do projeto que limita a alíquota de ICMS sobre gás, combustíveis, energia, comunicações e transporte coletivo é esperada para a próxima segunda-feira.

Há também expectativa da Casa votar junto com o projeto sob sua responsabilidade duas Propostas de Emenda à Constituição (PEC), uma prevendo compensação a entes federativos que toparem zerar suas alíquotas sobre GLP e diesel e outra visando a competitividade de biocombustíveis como o etanol.

"As atenções deverão seguir voltadas ao fiscal", avaliou a equipe da Guide Investimentos em comentários a clientes.

Em Nova York, o S&P 500 tinha decréscimo de 0,5%, com preços mais altos do petróleo alimentando preocupações com a inflação global, além de algum enfraquecimento no rali das ações de tecnologia e crescimento.

DESTAQUES

- VALE ON caía 1,2%, em sessão de realização de lucros, após começar junho com força. Até a véspera, o papel acumulava elevação de mais de 5%.

- ITAÚ UNIBANCO PN perdia 0,3% e BRADESCO PN cedia 0,5%, em sessão mista para bancos.

- PETROBRAS PN tinha variação positiva de 0,3%, em nova sessão de alta do petróleo no exterior, embora sem muito fôlego após três altas seguidas.

- QUALICORP ON avançava 3,9%, ensaiando uma recuperação após um começo de semana mais negativo, quando acumulou declínio de 6,65%. No setor de saúde, HAPVIDA ON também reagia e subia 2%.

- MINERVA ON perdia 2,15%, maior queda do Ibovespa. O CEO da empresa afirmou à Reuters na véspera que pecuaristas do Brasil devem diminuir o volume de gado que será enviado para confinamento no segundo semestre.

- ELETROBRAS ON avançava 0,6% tendo no radar a oferta de ações que visa sua privatização e será precificada na quinta-feira. A operação pode chegar a cerca de 35 bilhões de reais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos