Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.781,90
    -23,60 (-1,31%)
     
  • BTC-USD

    17.002,44
    +277,64 (+1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    332,91
    -4,59 (-1,36%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Ibovespa futuro mantém sinal positivo com expectativa sobre vacinas contra o coronavírus

Por Paula Arend Laier
·1 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa futuro buscava sustentar o sinal positivo nesta quarta-feira, em meio ao ambiente mais favorável a ativos de risco nos mercados no exterior, apoiado no otimismo com o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus, mas sem tirar do radar o crescimento de casos na Europa e EUA.

Por volta de 9h45, o contrato do Ibovespa que vence em 16 de dezembro subia 0,35%, a 107.740 pontos.

De acordo com a equipe do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, em nota a clientes, uma segunda onda de contágio pelo Covid-19 e notícias sobre vacinas seguem no radar de investidores.

Nesse contexto, a Pfizer informou nesta quarta-feira que os resultados finais do teste de estágio avançado de sua vacina para Covid-19 mostram que o imunizante é 95% eficaz, acrescentando ter os dados de segurança exigidos referentes a dois meses.

A farmacêutica reiterou que espera produzir até 50 milhões de doses de vacinas este ano, o suficiente para proteger 25 milhões de pessoas, e então produzir até 1,3 bilhão de doses em 2021.

Na véspera, dados preliminares dos testes clínicos com a CoronaVac, vacina experimental da chinesa Sinovac, mostraram que a mesma induziu uma rápida reposta imune, embora o nível de anticorpos produzidos tenha sido menor do que o visto em pessoas que se recuperaram da doença.

"Investidores seguem balanceando expectativas, colocando de um lado o otimismo com relação a uma vacina e do outro a cautela em torno da manutenção de uma situação sanitária delicada na Europa e nos Estados Unidos", reforçou a equipe da Guide Investimentos, em nota a clientes.