Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.496,21
    -2.316,66 (-2,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.463,26
    -266,54 (-0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,91
    -0,59 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.760,30
    -10,90 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    20.991,55
    -2.246,75 (-9,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    504,88
    -36,72 (-6,78%)
     
  • S&P500

    4.228,48
    -55,26 (-1,29%)
     
  • DOW JONES

    33.706,74
    -292,30 (-0,86%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,81 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.250,00
    -273,25 (-2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1885
    -0,0253 (-0,49%)
     

Ibovespa flerta com 101 mil pontos apoiado em Vale e Petrobras

Telão mostra cotações da B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista começava a semana com tom positivo e o Ibovespa rondando os 101 mil pontos, tendo Vale entre os principais suportes na esteira da alta do preço do minério de ferro nesta segunda-feira, assim como petrolíferas, com Petrobras avançando 6%.

Às 11:59, o Ibovespa subia 2,34%, a 100.985,80 pontos. Na máxima, chegou a 101.062,50 pontos. O volume financeiro somava 7,9 bilhões de reais. Apesar da melhora, ainda acumula um declínio de 9,3% no mês de junho.

Na visão do sócio da Manchester Investimentos Eduardo Cubas Pereira, a bolsa ainda reage ao tom mais duro do Federal Reserve para combater a inflação. Apesar do risco de recessão no curto prazo, acrescentou, o entendimento é de que pode representar controle mais rápido dos preços e retorno ao padrão normal de crescimento sem inflação mais cedo.

Em Wall Street, os principais índices acionários não firmavam um sinal, com o S&P 500 em alta de 0,2%.

Apesar da alta no pregão brasileiro nesta sessão, estrategistas do JPMorgan publicaram relatório afirmando que veem questões domésticas atrapalhando uma melhora do mercado acionário local nos próximos meses, a despeito de um esperado ambiente global mais positivo.

"Nosso ponto de vista otimista em relação ao Brasil sempre foi baseado na história global... No entanto, acreditamos que os próximos meses serão dominados pelo fluxo de notícias doméstico, que geralmente não é uma fonte de boas notícias", afirmaram.

DESTAQUES

- VALE ON tinha elevação de 5,7%, conforme os contratos futuros de minério de ferro atingiram máximas de uma semana nas bolsas de Dalian e Cingapura nesta segunda-feira. Os preços subiram apoiados em esperanças de que as siderúrgicas chinesas reiniciem dezenas de altos-fornos que haviam ficado ociosos devido à queda nas margens e à fraca demanda para reabastecer estoques.

- PETROBRAS PN avançava 6%, após o Comitê de Elegibilidade (Celeg) da companhia aprovar Caio Mario Paes de Andrade para o cargo de presidente-executivo da companhia. Documentos divulgados no sábado mostraram que o indicado do presidente Jair Bolsonaro ao cargo disse ao Celeg não ter recebido orientações do governo em relação à mudança da política de preços da estatal. O Itaú BBA retomou a cobertura das ações da Petrobras com recomendação "outperform". No setor, 3R PETROLEUM ON e PETRORIO ON subiam 5,5% e 4,3%, respectivamente, em sessão de alta do petróleo no exterior.

- ENEVA ON valorizava-se 5,15%, após levantar 4,2 bilhões de reais em uma oferta de ações precificada a 14 reais por papel. A companhia indicou que utilizará os recursos para financiar as aquisições da Celsepar e Cebarra.

- CVC BRASIL ON caía 4,6%, na sexta queda consecutiva. Na semana passada, a operadora de turismo levantou 402,8 milhões de reais em uma oferta de ações precificada na última quinta-feira a 7,70 reais por papel, um desconto de 13,3% em relação ao preço de fechamento daquele dia.

- ITAÚ UNIBANCO PN subia 0,8% e BRADESCO PN avançava 1,4%, reforçando o sinal positivo no pregão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos